CidadesNotícias

Programa de Combate à Dengue elimina focos do mosquito em pátio do Detran

Local foi notificado pela Vigilância Sanitária para que receba cobertura em 60% da área, como determina a legislação

Nos últimos dias, a equipe Programa de Combate à Dengue, Zika e Chikungunya, fez uma ação especial em três pontos de Camboriú. A ação foi a aplicação de Bendiocard, uma espécie de pulverização com veneno, para eliminar mosquitos do Aedes Aegypti. O supervisor de campo do Programa, Fábio Murilo de Souza, explica que este trabalho é realizado sempre que há a identificação de larvas positivas do mosquito.
O trabalho foi realizado em dois imóveis do Monte Alegre – em um depósito de sucata, na Rua Monte Dedo de Deus, e em um depósito de recicláveis, na Rua Monte Neblina. O terceiro local a receber inseticida para os mosquitos adultos foi o pátio do Detran, que fica no bairro Taboleiro. O pátio recebe os veículos apreendidos de Balneário Camboriú e Camboriú e tem hoje mais de 3 mil veículos.
Fábio esclarece que os três pontos são monitorados frequentemente, por causa da possibilidade de criadouros. Mas o pátio do Detran acabou sendo notificado pela Vigilância Sanitária do município. Isso porque a legislação federal determina que ele tenha 60% da área coberta. Hoje, de acordo com o supervisor de campo, apenas 1% da área tem cobertura. O prazo para o início das modificações é de 60 dias.
Maurício Costa, coordenador do Programa de Combate à Dengue, defende que a cobertura vai evitar o desenvolvimento de novos focos no local, já que o mosquito necessita de água parada para a reprodução.
Até 1º de março, a equipe já identificou 50 focos do Aedes Aegypti. Mais da metade destes focos foi localizado no bairro Taboleiro. Apesar do grande número de focos, nenhum caso das doenças que o mosquito transmite foi registrado em Camboriú. Isso ocorre porque é preciso que o mosquito esteja infectado com um dos vírus para passar a doença. “Nossa preocupação é que, se ocorrer uma contaminação, com tantos focos ela poderá atingir muitas pessoas rapidamente”, esclarece o coordenador Maurício. No ano passado, seis moradores de Camboriú tiveram dengue, mas em todos os casos a contaminação ocorreu em outras cidades.

Monitoramento é constante
Os agentes de endemias realizam um monitoramento constante na cidade. Este monitoramento é feito por meio de 175 armadilhas – partes de pneus com água limpa – que estão distribuídos por todos os bairros. As armadilhas são verificadas toda a semana e, caso alguma larva seja encontrada, passa por análise.
Além destes locais, a equipe faz verificações quinzenais no que chama de pontos estratégicos – locais com mais possibilidade de se tornarem criadouros do mosquito, caso dos três locais que tiveram aplicação do veneno. São 55 pontos estratégicos vistoriados. Quando as equipes encontram uma larva do mosquito, realizam um pente fino em todas as casas em um raio de 300 metros.

Como colaborar
Maurício explica que, além do trabalho da fiscalização, a população pode colaborar com ações simples que ajudam muito no combate ao mosquito. “A indicação é que uma vez por semana, por 10 minutos, o morador verifique locais que podem estar com água parada e limpa. Caso de pratinhos de plantas, pneus e até mesmo as calhas da casa”, explica.
Não colocar pneus ou eletrodomésticos nas ruas ou em terrenos baldios é outro pedido da equipe. Estes materiais podem ser destinados ao Ecoponto, que fica no final da rua Rio Pardo, no bairro Rio Pequeno, e funciona das 8 às 18 horas. Para denunciar ou tirar dúvidas sobre possíveis focos do mosquito, os moradores de pode entrar em contato pelo telefone (47) 3365 9400 ou no Facebook Dengue Camboriú.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *