ItajaíPolítica

Transportadores pedem ajuda a vereadores de Itajaí

Otto e Robison podem reativar Câmara Setorial de Transportes na cidade

    O Vereador Otto (PRB), em parceria com o Vereador Robison Coelho (PSDB), se reuniu na tarde do dia 03 de março com representantes dos transportadores de carga da região. A conversa, que aconteceu no dia que os caminhoneiros quase iniciaram uma paralisação geral das atividades, foi para pedir ajudar para a reativação da Câmara Setorial de Transportes.

            A reclamação dos profissionais é que a importação caiu e falta serviço para os caminhoneiros, e muitos caminhões de fora da região acabam tirando as oportunidades dos trabalhadores daqui. Em outra tentativa, na gestão de Jandir Bellini, os caminhoneiros não tiveram ajuda nem autorização para reativar a Câmara Setorial.

            Ambos os vereadores se comprometeram em abraçar a causa, ajudando a categoria na reativação da Câmara Setorial e demais sindicatos que sejam necessários para que as atividades sejam exercidas de forma digna.

 Outras reclamações

    Os representantes aproveitaram a reunião para colocar em pauta outros problemas que vêm acontecendo há tempos, que envolvem os caminhões e caminhoneiros. Na BR 470, por exemplo, não há acostamento e a estrada está esburacada. “Mas há bastante radar de velocidade”, comenta um dos representantes.

            Em Itajaí, o asfalto não aguenta o peso de diversos caminhões, além de que as estradas não têm espaço suficiente para que veículos compridos possam fazer curvas sem atrapalhar o trânsito.

Outra colocação dos representantes foi a questão da faixa de trânsito. Veículos lentos, pesados, deveriam utilizar a faixa à direita. Porém, Itajaí não tem ciclovia na maioria de sua extensão, e os postes são na beira das estradas, como também os pontos de ônibus. É por essa razão que os caminhões têm andado na outra via. “Desde que combinamos de trafegar pela faixa à esquerda, o número de atropelamentos de ciclistas caiu muito. Isso porque na direita ficávamos muito colados nas bicicletas”, afirma um caminhoneiro. “A solução seria a Via Portuária”, disse o Vereador Otto.

Os semáforos são outra dor de cabeça para os empresários do setor. O caminhão não consegue frear imediatamente, por ser pesado. Quando o sinal fica amarelo ou vermelho, muitos caminhoneiros não conseguem parar e acabam sendo multados. Cada multa leva 5 pontos na carteira e um valor alto a ser pago.

Mas a principal queixa foram os atritos com os agentes da Coordenadoria de Trânsito. Quando os caminhões precisam ficar estacionados na Caninana – Avenida Irineu Bornhausen, esperando para entrar no Porto de Itajaí, muitos são multados ou os agentes fazem os caminhões circularem na cidade, para não ficarem parados ali. Além disso, quando uma faixa de segurança luminosa cai do veículo, os agentes não deixam os motoristas entrarem no Porto, obrigando-os a comprar o utensílio e colar. Com isso, a carga demora a ser entregue, o cliente fica esperando e o navio não sai.

 Câmara Setorial

  Entre as vantagens da reativação da Câmara Setorial de Transportes, seria a regularização de diversos serviços já prestados pelos transportadores. Muitos caminhoneiros trabalham sem terem suas carteiras assinadas, perdendo diversos benefícios. Itajaí possui 1500 caminhoneiros, mas há desorganização nas contratações. “O cooperativismo é o caminho”, disse o Vereador Robison Coelho.

            Os representantes presentes na reunião sugeriram a criação de uma linha de crédito, posterior à ativação da Câmara Setorial. Com o dinheiro, os trabalhadores poderiam comprar um caminhão melhor, mais moderno e menos poluente. “Os caminhões novos que se veem circulando por aqui não são de Itajaí”, desabafam os transportadores.

            Os dois vereadores, Otto Quintino e Robison Coelho, vão se reunir com a administração do Porto de Itajaí, para propor melhorias no transporte de cargas e no trabalho dos caminhoneiros. Eles se comprometeram em tentar reativar a Câmara Setorial no município.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *