Itajaí

Município garante R$ 93 milhões para dragagem e contenção de cheias no rio Itajaí-açu

Obras devem iniciar ainda este ano a montante do Porto de Itajaí

As obras para contenção de cheias em Itajaí devem iniciar no próximo semestre. Em audiência em Brasília, o prefeito Volnei Morastoni garantiu R$ 93 milhões para dragagem do rio Itajaí-açu a montante do porto público. A agenda foi cumprida nesta segunda-feira (29) juntamente com o governador Raimundo Colombo e o secretário da Defesa Civil de Santa Catarina, Rodrigo Moratelli.

Em audiência com o Ministro da Integração Nacional, Helder Zahluth Barbalho, o prefeito defendeu a necessidade de obras de contenção de cheias em Itajaí. Volnei solicitou que os recursos inicialmente previstos para a dragagem do rio Itajaí-mirim fossem transferidos para o rio Itajaí-açu. São R$ 93 milhões que não concluiriam a dragagem necessária no rio afluente, cujo valor total da obra gira em torno de R$ 300 milhões. Contudo, com o valor previsto é possível deixar o calado a montante do rio Itajaí-açu em 10 metros.

Segundo levantamentos, a dragagem no rio Itajaí-açu aliada à retirada de sedimentos já em andamento pela draga chinesa no Porto de Itajaí (serão cerca de quatro milhões de metros cúbicos removidos para manutenção do canal de acesso do Complexo Portuário de Itajaí), diminuirá em cerca de 40% as chances de cheias no município.

“Houve uma sinalização positiva por parte do ministro, juntamente com toda a equipe técnica, para essa realocação dos recursos. Nosso próximo passo é fazer os encaminhamentos para abertura de licitação para a obra. Nossa expectativa é que os trabalhos iniciem no segundo mestre deste ano”, revela Volnei.

Pesca em pauta
O prefeito Volnei Morastoni também aproveitou a ida a Brasília para tratar das reivindicações do setor pesqueiro. No Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o prefeito falou sobre a pesca da tainha e Itajaí, sendo o maior polo pesqueiro do país, teve apenas três barcos sorteados. A alternativa apresentada foi de que todos os barcos pudessem participar da safra, mas com cotas de pesca.

A solução foi recebida como oportuna pelo ministério e pelo Secretário de Articulação Nacional, Célio Casagrande. Entretanto, informaram que não é possível adotar a medida para esta safra. “A partir do próximo ano, este sistema de cota solicitado pelos pescadores poderá ser realizado com controle nos barcos”, comenta o prefeito. Uma nova audiência em Brasília será marcada para tratar de outros temas relacionados à pesca, à atividade em Itajaí e aos pedidos do setor.

______________________________

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *