Camboriú

Camboriú registra pontos de deslizamento e alagamento

Defesa Civil não descarta risco de inundação durante pico da maré, por volta das 19h. Até o momento não há moradores desalojados ou desabrigados
O intenso volume de chuva dos últimos dias causou pontos de deslizamento e de alagamento em Camboriú. Nesta quarta-feira, 31, foram registrados deslizamentos no Conde Vila Verde, Santa Clara, Cedro e Toca – na área rural do Município. No Monte Alegre, há alagamentos nas ruas Monte Acaraí, Monte Alto, Guaraparim, Monte Agulhas Negras e ruas próximas. Também está alagado um trecho da Avenida Santa Catarina, principal acesso à cidade. A Defesa Civil atua em conjunto com Fucam, Bombeiros e Departamento de Trânsito para avaliar e controlar a situação. Até o momento, nenhum morador precisou sair de sua residência. Não está descartado o risco de mais deslizamentos e inundação, que pode ocorrer por volta das 19 horas, momento em que é previsto o pico da maré.

“Estamos monitorando o rio e, caso seja verificado o risco de inundação, vamos emitir o alerta para a população”, explica secretário de Defesa Civil, Flávio Geraldo. Moradores próximos das áreas em que já ocorreram deslizamentos devem ficar atentos a qualquer movimentação. “Toda a área do Morro da Caixa D’água apresenta risco. Quem mora nos arredores das ruas Monte Mercendário e Monte Makalú, no Conde Vila Verde, também deve ficar em alerta”, reforça.

Segundo o monitoramento da Epagri para a região, até o fim desta quarta-feira a chuva deve atingir um volume de 80 a 100 milímetros – quantidade que era esperada para todo o mês. A previsão é de que a chuva cesse amanhã, a partir do meio dia. Até que a situação se normalize, a Defesa Civil de Camboriú atende em regime de plantão nos telefones 99220-6269, 98461-1167 e 99178-0302. Quem precisar fazer alguma notificação ou pedido de ajuda também pode entrar em contato com o Corpo de Bombeiros no número 193.

Recomendações da Defesa Civil
Em pontos de alagamento ou inundações, a população deve evitar contato com as águas e não dirigir em lugares alagados. “Estamos interditando o entorno dos pontos de alagamento porque a passagem de veículos gera ondulações, o que pode fazer a água invadir casas e comércios”, explica o diretor do Departamento Municipal de Trânsito, Edemir Meister.

Quem mora próximo a áreas com risco de deslizamento deve ficar atento a movimentos de terra ou rochas próximas às residências, bem como inclinação de postes e árvores, rachaduras em muros e paredes. “Em caso de qualquer movimentação, a família deve sair de casa e acionar a Defesa Civil ou o Corpo de Bombeiros no número 193”, recomenda Flávio Geraldo.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *