Notícias

Santa Catarina investe em tecnologia para produzir mais milho

Santa Catarina aumenta área plantada de milho e espera safra 15,78% maior em 2017. Para compensar a pequena extensão territorial, os produtores catarinenses investem em tecnologias que garantam altas produtividades em pequenas propriedades. O Centro de Socioeconomia e Planejamento Agícola (Cepa/Epagri) estima que a produtividade média nas lavouras catarinenses de milho grão será de 140 sacas por hectare, 12,43% a mais do que na última safra.

A safra 2016/17 deve fechar em 3,15 milhões de toneladas e em 378.631 hectares plantados, um crescimento de 2,98% em relação ao último ano. Os bons resultados são frutos da combinação de condições climáticas favoráveis e alta produtividade.

Foi justamente através do aumento na produtividade que a região de Joaçaba se tornou destaque na produção de milho em Santa Catarina. Nesta safra, a região ultrapassa Chapecó e se torna a maior produtora do grão no estado. Com uma produtividade 32% maior, os produtores devem colher em média 176 sacas por hectare e a produção pode chegar a 630,2 mil toneladas – 42% a mais do que na última safra.

A produtividade aumentou a colheita também em regiões como Curitibanos, onde o rendimento médio das lavouras chegou a 181 sacas por hectare – um aumento de 18,38% nessa safra. Em São Miguel do Oeste a produção deve ser de 346,8 mil toneladas, levada pelo aumento de 22% na produtividade, lá os produtores irão colher em média 127 sacas por hectare.

O maior aumento na área plantada em Santa Catarina é observado na região de Xanxerê, que destina 27.300 hectares às lavouras de milho, um incremento de 16,17%. Com a ampliação da área plantada e da produtividade, a safra na região deve ser 30,64% maior este ano, chegando a 271 mil toneladas colhidas.

O incremento na produção de milho é uma grande preocupação da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca. Destaque na produção de proteína animal, Santa Catarina é o maior consumidor de milho do país e o grão é indispensável para manter a competitividade do agronegócio no estado. “Somos grandes produtores de suínos e aves e queremos manter esse setor consolidado em Santa Catarina, para isso precisamos de milho. Não existe suinocultura e avicultura sem milho”, ressalta o secretário da Agricultura Moacir Sopelsa.

O Governo do Estado tem ainda uma parceria com produtores e cooperativas para incentivar o plantio de milho em Santa Catarina. “Nós estamos ao lado dos produtores com o programa Terra-Boa, apoiando a aquisição de sementes de milho de alta tecnologia, e também com o Programa de Incentivo ao Plantio de Milho, que garante a venda antecipada do milho para as agroindústrias. São programas que dão um suporte para os produtores e incentivam o investimento em tecnologia para aumentar a produtividade”, explica Sopelsa.

Este ano, os investimentos no Terra-Boa chegam a R$ 50,9 milhões para subsidiar a aquisição de 220 mil sacos de sementes de milho, 300 mil toneladas de calcário, 1,1 mil kits forrageira e 350 kits apicultura. A expectativa é atender 70 mil agricultores em todo o estado.

Milho Silagem

A safra de milho silagem, utilizado na alimentação de bovinos de corte e leite, também teve crescimento em Santa Catarina. O estado deve colher 9,3 milhões de toneladas de milho silagem 14,3% a mais do que na safra 2015/16. Com uma área plantada de 220 mil hectares, a produtividade chega a 42,5 toneladas de massa verde por hectare.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *