Itajaí

CEMESPI cria projeto para facilitar a alfabetização de alunos especiais

A ação envolve crianças com comprometimentos biológicos e funcionais. O Centro Municipal de Educação Alternativa de Itajaí (CEMESPI) criou o projeto “Vendo, ouvindo e sentindo letras”, que tem como base uma proposta multissensorial, conhecida como “método das boquinhas”. Voltada a atender as dificuldades na alfabetização e de fala dos alunos, através da compreensão e utilização do princípio alfabético da língua portuguesa. O projeto é desenvolvido em grupo e é operacionalizado por fonoaudiólogas. Crianças com comprometimentos biológicos e funcionais, como nas dislexias e deficiência intelectual, tendem a uma maior vulnerabilidade ao fracasso escolar no que se refere ao processo de aquisição da leitura e escrita. “Eles apresentam prejuízos em seu desenvolvimento metacognitivo, além de maiores dificuldades nas habilidades de abstração, generalização e memória, o que pode levar muitas dessas crianças a chegarem na idade adulta sem essa aprendizagem garantida”, explicou a diretora do CEMESPI, Gabriela Fialho Probst. Foi realizado um encontro, com os pais dos alunos, com a finalidade de esclarecer a metodologia, fornecer orientações sobre como ajudar seus filhos em casa e acima de tudo aproximá-los da proposta de atendimento do projeto. “A intenção é estimular na família um ambiente seguro, de apoio e afetividade aos filhos frente às dificuldades durante o percurso de aprendizagem. Acreditamos que a compreensão e a afetividade por parte da família, bem como uma autoestima saudável, funciona como um motor que impulsiona a aprendizagem”, finalizou a diretora.
Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *