Camboriú

Idosos de Camboriú que recebem BPC se regularizam junto ao Cadastro Único

De 444 idosos contemplados pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC) em Camboriú, 194 já atualizaram o cadastro e 36 – só na região do Centro – realizaram o cadastramento junto ao Cadastro Único, instrumento utilizado por programas de Assistência Social. A regularização é obrigatória e continua até 31 de dezembro. Moradores que não atualizarem as informações irão perder o benefício. A gestora do Bolsa Família e responsável pelo cadastramento em Camboriú, Adriana Francisca, comenta que atualizar o cadastro garante a tranquilidade e assegura aos idosos o que lhes é de direito. “Em dezembro, os BPCs passarão a ser suspensos de acordo com a data de aniversário. E, muitas vezes, o idoso ou a família só tem aquela renda. Por isso é importante que os idosos beneficiados procurem os postos de atualização”, reforça. A responsável pelo cadastramento realizou reuniões em todas as Unidades Básicas de Saúde do município, durante as duas primeiras semanas de agosto, e solicitou auxílio de agentes comunitários de saúde para impulsionar os cadastros e atualizações. O BPC é um benefício cedido a idosos cuja família tem renda inferior a 25% do salário mínimo por pessoa da casa. Diferente de uma aposentadoria, o auxílio não garante o recebimento de décimo terceiro e nem gera pensão por morte para dependentes.

O que apresentar e onde realizar o cadastro? 
Idosos que residem nos bairros Monte Alegre, Taboleiro e Conde Vila Verde devem fazer o cadastro no setor de Bolsa Família anexo ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). A instituição está localizada na Rua Monte Neblina, n° 400, no bairro Monte Alegre. O horário de atendimento é de segunda a quinta-feira, das 9 às 12 horas e das 13 às 18 horas. Já beneficiados que moram nos demais bairros de Camboriú devem ir até a Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social – na Rua Presidente Costa e Silva, n° 329, no Centro – no mesmo horário. A secretária de Desenvolvimento e Assistência Social, Andréia de Souza Machado, comenta que a diferenciação para atualização e cadastramento entre os bairros é uma forma de proporcionar o bem-estar dos idosos. “Tudo foi pensado visando questão de prioridade. Não seria interessante fazer um morador com mais de 60 anos se deslocar de um bairro distante só para o cadastramento. Por esse motivo, aproveitamos o posto de atualização do Bolsa Família presente no CRAS”, pontua. Para o cadastro, é necessário apresentar cópias do RG, CPF, título de eleitor e carteira de trabalho, de todas as pessoas que moram na casa. Além disso, são solicitados comprovante de residência (preferencialmente conta de luz), além de certidão de nascimento e atestado de frequência escolar, em caso de menores de 18 anos.
Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *