Balneário Camboriú

COSIP e empresas de telecomunicação realizam força-tarefa para organizar fiação elétrica dos postes do Calçadão

Na manhã desta quarta-feira (22), uma força-tarefa organizada pela Contribuição para Custeio de Serviço de Iluminação Pública (COSIP) uniu empresas de telecomunicação para organizar a fiação elétrica dos postes de iluminação pública no Calçadão da Avenida Central, em Balneário Camboriú. Participaram da ação equipes das empresas CCS, Unifique, Oi, Vivo, Net, Algar e Claro. O objetivo foi diminuir a poluição visual causada pelo uso desordenado da fiação, o que dificulta o trabalho da COSIP, e manter a utilização dos fios que estão em bom funcionamento. As equipes se distribuíram na extensão de todo o Calçadão, retirando cabos de clientes que solicitaram a desconexão dos serviços, reorganizando a fiação que estava desordenada e adequando as entradas de cabos de telefonia dos prédios locais. De acordo com o gestor da COSIP, Anderson dos Santos, a ação é uma responsabilidade das empresas de telecomunicação. No entanto, é um pedido da população que acaba associando esse serviço à autarquia. “A ideia foi unir todas as empresas para que, juntas, solucionem o problema. Não queremos que uma passe para outra o problema da organização dos fios e os moradores fiquem sem solução dos transtornos causados pela desorganização dos fios”, explicou o gestor, destacando que está em andamento outra iniciativa para melhorar a iluminação pública do Calçadão.“Em breve, lançaremos um edital e acredito que, até o Natal, conseguiremos melhorar a iluminação desta localidade, com a utilização de luzes de LED”, finalizou. As empresas foram convocadas para a ação com base no cadastro na Celesc, que regulamenta e fiscaliza esses serviços. A força-tarefa havia sido planejada em uma reunião, dia 14, com a COSIP e os representantes das concessionárias dos serviços de telecomunicação. A COSIP prestou auxiliou às equipes com o uso de um caminhão para serviços elétricos. A meta é expandir o trabalho para outras ruas da cidade.

Para Nora Santelmo, proprietária há nove anos de um restaurante do Calçadão, a iniciativa é muito importante para o bom funcionamento dos serviços para moradores e comerciantes. “Nós já tínhamos sido avisados que haveria este trabalho aqui. Achei que vieram rápido. Realmente falaram e fizeram”, falou a comerciante.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *