Balneário Camboriú

Projeto para desassoreamento e desobstrução do Rio das Ostras começará a ser elaborado

Para resolver definitivamente os alagamentos decorrentes das chuvas nos bairros da Barra, São Judas e Nova Esperança, foi assinado na manhã desta quarta-feira (02) o projeto de desassoreamento e desobstrução do Rio das Ostras. Com esse estudo, que inicia nesta quinta-feira (03), será verificada a possibilidade de aumentar a vazão do Rio e após este, serão contratadas empresas para a execução das obras necessárias.

“Todas as ações que foram feitas durante todos esses anos no Rio das Ostras foram paliativas. A cidade cresceu, a densidade mudou e isso trouxe alguns problemas. Precisamos fazer projetos que tragam soluções definitivas. E esse é um projeto que vai fazer todo um estudo hidrográfico da bacia do Rio. A partir desse estudo, em parceria com a comunidade, que vamos saber que obras serão necessárias para resolver esse problema”, comentou o prefeito, Fabrício Oliveira.

Dentro do projeto estão a prestação de serviços técnicos de engenharia para execução de estudo hidrológico, readequação de calha, pontes e acessos, incluindo plano de manutenção do Rio das Ostras. A empresa vencedora da licitação foi a Hidrotopo Consultoria e Projetos LTDA, do Rio de Janeiro, e o serviço terá um investimento de R$109.652,17. O prazo para execução de serviço será de 12 meses, porém a empresa garantiu a conclusão em até seis meses.

Segundo o presidente da Associação do Rio das Ostras, Jorge Castanha, esse projeto auxiliará na solução de um problema que atinge os moradores próximo ao Rio há mais de 15 anos. “Esse projeto é muito importante porque a comunidade está sofrendo com enchentes e até então ninguém tinha tomado uma medida para solucionar esse problema. Isso é um bom início e vamos auxiliar para que esse projeto atenda as nossas necessidades”.

Como medida emergencial, a Defesa Civil do Município fará um parecer para a execução de uma limpeza do Rio das Ostras, no trecho entre as ruas Maria Mansoto e Adaci Gomes. “Para podermos mexer no Rio precisamos de um amparo legal e para isso solicitamos da Defesa Civil um parecer emergencial sobre a necessidade de fazer uma limpeza para que o Rio tenha mais fluidez, mais profundidade e largura”, explicou o diretor-geral da Empresa Municipal de Água e Saneamento de Balneário Camboriú (EMASA), Carlos Haacke informando que esse serviço começará a ser feito nos próximos dias.

Desde o início deste ano a EMASA e secretarias de Meio Ambiente, Planejamento e Obras estão realizando manutenções pontuais no rio. Foram removidos do leito móveis velhos, geladeiras, fogões, colchões, garrafas, plásticos, latinhas e pneus velhos, além da limpeza de vegetação e roçada das margens. Um grupo de trabalho formado por moradores da região foi formado e acompanha as ações.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *