Cidades

ESMOLEIRO DE SEMÁFORO – Necessidade ou negócio?

Analisando o grande número de pedintes (cerca de 300) em semáforos da nossa cidade, passei a me perguntar: Como que toda esta gente vive? Quanto ganha um mendigo em Balneário Camboriú? Pois, foi em um ato de “solidariedade” que eu próprio fazia a um mendigo, que pude depois de uma conversa com ele, constar uma realidade não vista por todos que querem ajudar o próximo: PEDIR ESMOLA NO SEMÁFORO É UM GRANDE NEGÓCIO. Vejamos só:

Um semáforo fecha durante 30 segundos. Se um pedinte ganhar R$ 0,50 centavos cada vez que o semáforo fechar(sem considerar que muitos dão 2, 5 e até 10 reais), ele poderá ganhar R$ 1,00 por minuto. Se uma hora tem 60 minutos, ele pode ganhar R$ 60,00 por hora. Se ele trabalhar 8 horas por dia, ele poderá ganhar R$ 480,00 (quatrocentos e oitenta reais por dia). Se ele trabalhar 5 dias por semana, ele poderá ganhar R$ 9.600,00 por mês. Daí podemos nos perguntar: mas onde eles colocam este dinheiro todo? Drogas, álcool e sabe-se o que mais, custa caro.

Me parece que todo o esforço da prefeitura, com todos os investimentos que são feitos não terão sucesso se a sociedade como um todo não compreender que pelas características turística e econômica de Balneário Camboriú, pedir esmola é um grande negócio. O Brasil está mudando. Precisamos dar oportunidades e não esmolas ao povo.

Claudir Maciel

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *