Política

CPI do Ruth Cardoso foi boicotada por vereadores

A CPI do Ruth Cardoso, proposta pelos vereadores Nilson Probst e Leonardo Piruka não sairá do papel por falta de apoio dos demais parlamentares.

Uma Comissão Parlamentar de Investigação precisa do apoio de um terço dos 19 vereadores, ou seja, 7 vereadores precisam assinar a proposição de abertura da CPI, o que não aconteceu até a noite desta terça-feira.

A investigação, segundo os proponentes, serviria para apurar as negligências que ocasionaram as mortes dos últimos dias, “Segundo informações que recebemos, as últimas mortes aconteceram por negligência médica, falta de atendimento e imprudência de servidores. Isto não pode ficar sem ser investigado”, afirmou Nilson.

Segundo Piruka, a sociedade precisa saber a verdade para que a confiança no Ruth volte. “O que temos visto e ouvido por parte da população é preocupante. As pessoas não têm mais segurança em serem levadas ou levarem seus familiares para nosso hospital. Se houve negligência, precisamos levantar e mostrar para a população”.

A administração pública municipal tem trabalhado para que os vereadores da base do governo não assinem a abertura desta CPI. “Até agora apenas Piruka, Bola, Meirinho, Elizeu e Eu assinamos”, declarou Nilson Probst.

Os vereadores continuam no aguardo das asssinaturas necessárias para abertura do processo de investigação dos casos do Ruth Cardoso, mas com esse empenho do governo em barrar a CPI, reconhecem que será muito difícil instaurá-la, a menos é claro que haja um forte clamor popular que sensibilize os demais vereadores, principalmente os ligados a base de governo.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *