Dicas

A dor do membro fantasma: Por que ocorre e como tratar!?

Amputação é definida como retirada total ou completa de um membro do corpo. E pode ocorrer por várias causas, como acidentes automobilísticos, acidentes de trabalho, associado a doenças como diabetes entre outras causas.

Muitas pessoas após uma amputação sentem que possuem o membro amputado, sentindo dor, coceira, formigamento, dormência, pontadas, queimação e outras sensações onde antes existia um membro.Embora muitas pessoas acreditem que a dor fantasma é de origem psicológica, atualmente muitas pesquisas apontam evidencias físicas sobre o assunto.

Nosso cérebro possui o registro de todas as partes do nosso corpo, chamamos isso de mapa da imagem corporal. O cérebro recebe essas informações advindas de todas as partes do corpo, então após uma amputação as informações ficam completamente alteradas, pois o cérebro espera receber informações de todas as partes inclusive da parte amputada e isso não ocorre. Por essa razão o membro residual, chamado de coto fica muito sensível, pois recebe todas as informações que eram destinadas para o membro todo. Portanto todas as informações do coto, quanto o cérebro estão em processo de readaptação, sendo necessárias estratégiaspara facilitar o processo, como medicações e fisioterapia.

É claro que essa condição pode ser agravada pela dificuldade de aceitação, e é importante saber que existe tratamento; na fisioterapia muitas são as técnicas, algumas para diminuir a sensibilidade com estímulos de diferentes texturas sobre o coto, e outras para melhorar a imagem corporal como terapia do espelho e também o enfaixamento do coto. A prática de exercícios físicos é muito utilizada, pois além de ajudar na reorganização cerebral sobre a imagem corporal, previnem sequelas e mantem o coto funcional. Além da grande importância do acompanhamento com psicoterapia.

Todo trauma físico que o corpo humano sofre pode ser de difícil aceitação, além de deixar sequelas que podem ser permanentes como no caso da amputação, o importante é se manter informado e saber que existem formas de tratamento que podem facilitar essa fase, outro fator importante é sempre procurar o profissional da saúde adequado para obter melhores resultados, então procure um médico e/ou um fisioterapeuta para conhecer as melhores opções para cada caso. A amputação é um processo difícil, porém deve ser encarada de forma positiva e qualquer pessoa com os auxílios adequados pode ter uma vida perfeitamente normal e saudável.

Acadêmicos: Camila de Castro Zavadski, Rafael Soares Cardoso

Professora Fisioterapeuta Dra. Vera Lígia Bento Galli

Contato: vgalli@univali.br; camilazavadski@gmail.com

rafael_soarescardoso@hotmail.com

Curso de Fisioterapia – UNIVALI.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *