Piçarras

40 pessoas desbravam o Morro do Quininho em Trilha Terapêutica da Saúde

O espaço é mantido por ONG e o acesso aos 1.400 metros da trilha é aberto para o público.

“Foi um teste de fogo. Cinco meses atrás eu passava por uma angioplastia e um cateterismo”, contou o aposentado Miguel Cardoso na manhã desta quinta-feira, 10, logo após concluir a caminhada de 1,4 quilômetro no topo do Morro do Quininho. Ele foi um dos 40 participantes da “Trilha Terapêutica”, evento promovido pela Secretaria de Saúde, em parceria com a Associação de Defesa do Meio Ambiente SelvAge Mata Atlântica.

Os participantes do evento – promovido em alusão ao Dia Nacional do Idoso (1º de outubro) e Dia Nacional de Prevenção à Obesidade (11 de outubro) – percorreram o trecho com calma e muita conexão com a mata quase que intocada pelas mãos humanas. “Moro há 48 anos em Balneário Piçarras e nem sabia desse local. Incrível. A vista do mirante é de tirar o fôlego”, comentou a técnica de enfermagem, Rosângela de Souza.

Para a naturóloga da Secretaria de Saúde, o evento atingiu seu grande objetivo: fomentar nas pessoas o espírito da caminhada em meio à natureza. “Mostrar a eles que o exercício físico deve fazer parte do nosso cotidiano, assim como manter a mente em plenitude. O local é lindo e pudemos ver que houve uma participação de públicos diferentes, variados. Estão todos de parabéns”, finalizou Priscilla.

Apesar de a trilha ter “3 graus de dificuldade que estão indicados por placas na trilha”, como detalha a bióloga da ONG, Patrícia Cuadrado, ela é voltada para todos os públicos. Até o jovem Pietro Laurentino, de 10 anos, participou. “Muito bonito. Nunca tinha caminhado por uma trilha, foi bem legal”, narrou.  A dificuldade da trilha é medida por sua inclinação, porém ela está bem sinalizada e adaptada com escadas e cordas para ajudar na subida, além de espaços com bancos para descanso e “locais de contemplação”. Um deles é justamente o mirante, que à memória uma imagem para se lembrar pela vida.

“Uma vista incrível. Eu recomendo. Pretendo trazer meus filhos e meus netos para conhecer”, complementou Amauri Costa, que mora há pouco mais de um ano na cidade, mas já veraneia no balneário há uma década. Profissionais da saúde, de educação física e guias da ONG – que tiveram aporte de uma ambulância e um saudável lanche após o exercício – foram essenciais para que todos pudessem completar o percurso.

“O evento de hoje mostrou que qualquer pessoa pode completar a trilha, sempre com calma e tranquilidade”, definiu Patrícia. Apesar de ela ser mantida por uma ONG, o acesso aos 1.400 metros da trilha é aberto para o público. “A trilha está aberta à visitação para o público em geral sob agendamento. Cobramos uma taxa de preservação de R$ 10 para adultos e R$ 5 para criança que é integralmente utilizada para manutenção e melhoria da trilha e instalações da ONG”, explica bióloga e também diretora da organização. Os agendamentos para visitação podem ser feitos pelo telefone (47) 9 9193.8855, pelo e-mail ong.selvage@hotmail.com ou também por meio de contato através do Facebook (/ongselvage).

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *