Santa Catarina

Projeto Recuperar avança com manutenção de rodovias no Norte e Meio-Oeste de Santa Catarina

As máquinas já estão na pista. Lançado neste ano pelo Governo de Santa Catarina, o Projeto Recuperar avança com o início dos trabalhos de recuperação das estradas estaduais por meio do modelo de parceria com consórcios interfederativos. Desde o fim de novembro, trabalhadores contratados pelo Cincatarina realizam operações de recuperação asfáltica no Norte e Meio-Oeste catarinense, em rodovias como a SC-415, em São Francisco do Sul, a SC-350, em Caçador e Águas Mornas, e SC-120, em Lebon Régis.

“O Programa Recuperar começa a dar os primeiros sinais de efetividade. Agora, os consórcios municipais que aderiram a esse programa do Governo do Estado começam a receber a atenção das máquinas. E o melhor de tudo: trata-se de uma intervenção com muito mais qualidade do que se fazia antes. É um trabalho que, apesar de emergencial, vai ter uma durabilidade muito maior, com o recorte no asfalto e a colocação de uma base”, explica o governador Carlos Moisés.

Operários em ação

Às margens da SC-415, em São Francisco do Sul, o panificador Adriel Alexandre Dias observa o trabalho dos homens e máquinas. Primeiro, os trabalhadores removem a camada de asfalto danificada. Em seguida, o asfalto quente é colocado, compactado e fresado. Dias conta que, embora aguarde por uma revitalização completa da rodovia, a comunidade do bairro da Reta tem avaliado positivamente o trabalho realizado até aqui.

“Tudo que vem para beneficiar o que não está bom é salutar. Será bom para o município e para quem usa a rodovia essa parceria com o Governo. A gente fica até um pouco espantado com a rapidez que a empresa veio para realizar o serviço, atendendo ao pedido da comunidade”, relata Dias.

Duas empresas contratadas atuam no local, uma para executar a obra e outra para fiscalizar. Na SC-415, o trecho a ser recuperado tem uma extensão total de 10 quilômetros, e o fiscal responsável é Edson Manoel de Farias. Além de acompanhar in loco a recuperação da rodovia, ele também realiza o levantamento que precede a operação em si.

“Nós percorremos a estrada e fazemos um levantamento fotográfico. Em um relatório, marcamos o diâmetro dos buracos e fazemos a marcação dos cortes. Em seguida, isso é levado para o nosso setor de engenharia. Por fim, retornamos ao trecho para acompanhar o trabalho da empreiteira, ver se tudo está correto. O objetivo de todo esse processo é fazer um serviço dentro das normas e bom para quem trafega aqui”.

Ainda segundo Farias, o trabalho realizado pelo Programa Recuperar é com asfalto quente, ao contrário do que era realizado anteriormente. Essa técnica proporciona uma maior durabilidade, com a retirada completa do piso danificado com infiltrações e buracos.



Próximos trabalhos

Além das SCs 350 e 415, o Cincatarina dará início aos trabalhos até a próxima semana na SC-284, em Campos Novos, e na SC-390, em Zortéa, com recuperação asfáltica, limpeza de sarjeta e roçada. Na SC-390, em Celso Ramos, está autorizada a manutenção emergencial da rodovia não pavimentada.
No total, cerca de 600 quilômetros de estradas já foram mapeados pelo consórcio e devem receber intervenção em breve. É o caso das SCs 416 (Itapoá), 417 (Garuva / Itapoá), 452 (Monte Carlo/Fraiburgo), 452 (Abdon Batista / Anita Garibaldi), 452 (Vargem / Abdon Batista), 355 (Lebon Régis / Fraiburgo), 355 (Fraiburgo / Videira), 284 (Campos Novos), 135 (Celso Ramos), 135 (Caçador / Matos Costa), 135 (Matos Costa / Porto União), 390 (Zortéa), 390 (BR-470 a Brunópolis), 390 (Celso Ramos / Anita Garibaldi), 155 (Xanxerê / Xavantina) e 455 (Macieira).



Como funciona o projeto

O Projeto Recuperar é um modelo de cooperação inovador e mais econômico para manutenção de rodovias estaduais por meio da parceria com consórcios interfederativos. O Governo do Estado repassa os recursos para a execução dos trabalhos, e as associações de municípios – ligadas aos consórcios – apontam os trechos e os serviços prioritários. O chefe da Casa Civil, Douglas Borba, reforça que o Recuperar não delega a competência das estradas para os municípios e que o Estado segue com suas responsabilidades jurídicas sobre as rodovias.

De acordo com o Cincatarina, já nos primeiros editais para execução do projeto, foi possível alcançar uma economia de cerca de 32% no valor estimado para os serviços. Os investimentos também são maiores. A partir do ano que vem, a previsão é que o projeto receba R$ 120 milhões por ano, o que representa um crescimento de 124% em relação aos R$ 53,5 milhões aplicados em 2018.

Grande parte do Estado já aderiu ao Recuperar. Atualmente, nove consórcios integram a iniciativa, abrangendo 15 associações de municípios. A parceria alcança cerca de 4 mil quilômetros de malha rodoviária estadual — Santa Catarina tem 6 mil quilômetros de estradas estaduais.

“Queremos que todas as 265 cidades que possuem estradas estaduais em Santa Catarina façam parte e se beneficiem deste projeto, possibilitando essa ação em âmbito local e dando agilidade e economia aos cofres públicos”, salientou Borba.

*Manutenção na SC-415, em São Francisco do Sul. Fotos: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação – SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *