Notícias

Peru enfrenta escassez de oxigênio para pacientes com coronavírus

O Peru enfrenta uma escassez de oxigênio para tratar pacientes com coronavírus. O governo planeja aumentar a produção local do insumo e fazer importações para garantir seu suprimento, informou o ministro da Saúde, Víctor Zamora, nesta segunda-feira (1).

“Vamos implementar um plano, assim como fizemos com medicamentos (no mês passado), faremos com oxigênio”, disse Zamora a jornalistas.

O Peru, o segundo país da América Latina em número de infecções por COVID-19 depois do Brasil, ultrapassou 170.000 casos confirmados nesta segunda-feira e mais de 4.600 mortes, segundo o balanço oficial.

No domingo, familiares de pacientes protestaram na cidade de Piura, carregando balões de oxigênio, durante a visita do Presidente do Conselho de Ministros, Vicente Zeballos.

“A demanda por oxigênio para atender à COVID é de 21.740 balões, o que representa aproximadamente 40% a mais do que o consumo regular. Essa demanda incomum excede a disponibilidade que tínhamos e até excede a capacidade de produção de oxigênio existente no país “, afirmou Zeballos em comunicado ao Congresso.

Ele acrescentou que o Peru importará oxigênio dos países vizinhos. Segundo o jornal El Comercio, “pelo menos uma remessa já saiu do Equador”.

Além disso, o Ministério da Saúde autorizou excepcionalmente a habilitação de novas industrias para a fabricação de oxigênio com fins medicinais.

O sistema hospitalar peruano está à beira do colapso e uma alta demanda por medicamentos para problemas respiratórios levou o governo há 10 dias a tomar medidas para conter os aumentos de preços, obrigando todas as farmácias a venderem produtos genéricos.

Devido à escassez de oxigênio nos hospitais, muitos familiares de doentes tiveram que adquirir o insumo em estabelecimentos particulares.

“Em alguns hospitais, eles estão pedindo que levem oxigênio porque, infelizmente, o oxigênio acabou para a maioria dos infectados”, disse Juan Astuvilca, reitor da Faculdade de Medicina de Lima, a um canal de televisão.

Um balão de oxigênio custa pelo menos cerca de US $ 1.100, de acordo com lojas online. Recarregar esses recipientes, que duram entre 12 e 24 horas, custa entre US $ 52 e US $ 60.

Empresas químicas e de mineração estão colaborando com doações.

A mineradora mexicana Southern Copper prometeu entregar 20 toneladas de oxigênio industrial por semana, segundo a mídia local.

Foto: Peruanos aguardam atendimento médico, do lado de fora do Hospital Alberto Sabogal, em Lima, em 27 de maio de 2020. O país enfrenta escassez de oxigênio para pacientes de COVID-19.
AFP / ERNESTO BENAVIDES

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *