Itajaí

Quase 80% dos pacientes infectados pelo coronavírus em Itajaí estão curados

O índice de casos de COVID-19 curados em Itajaí é de quase 80%. Dos 4.170 pacientes infectados pelo vírus até terça-feira (11), 3.220 já estão recuperados (77,2%). Um levantamento dos últimos boletins epidemiológicos do Município apontou ainda que em torno de 94% dos pacientes com o vírus ativo não necessitam de internação hospitalar e são tratados em casa.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica de Itajaí, o alto índice de pessoas curadas no Município também indica que a maioria dos casos positivos apresentou sintomas leves, tratados e acompanhados ambulatorialmente. Nos últimos 10 boletins epidemiológicos, observou-se ainda que apenas 6% dos pacientes ativos precisaram ser internados em hospitais para tratamento.

“Grande parte dos casos de coronavírus registrados em Itajaí tem sintomas leves e acaba se recuperando em casa, após 14 dias de isolamento domiciliar. Apesar disso, ampliamos o monitoramento dos pacientes positivos para evitar o agravamento do quadro clínico e possível internação”, comenta a diretora da Vigilância Epidemiológica de Itajaí, Suzany Olibone.

O monitoramento dos pacientes positivos e também de casos sintomáticos que tiveram resultado negativo no exame de coronavírus é feito por uma equipe com cerca de 30 profissionais de saúde por telefone ou através de visitas domiciliares. Os pacientes com sintomas moderados a graves são identificados nas teleconsultas e recebem uma visita para avaliação e orientação, quando necessário.

Com a medida, o Município espera antecipar o atendimento de pacientes graves, monitorando caso a caso e evitando novas mortes em decorrência da COVID-19. A equipe multiprofissional da central de monitoramento é composta por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e estudantes em fase de conclusão do curso de Medicina. Os dados são acompanhados diariamente pela Vigilância Epidemiológica e permitem a elaboração de estratégias de controle do vírus e redução do impacto sobre o sistema de saúde. 

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *