Cultura

28 Patas Furiosas apresenta 2º mOno_festival

A 2ª edição do mOno_festival recebeu 208 inscrições de 14 estados do Brasil e uma do exterior. Foram selecionados seis espetáculos solo, um espetáculo inédito de artista residente que está em processo de criação no Espaço 28 e sete números artísticos para apresentação de um show de variedades, além de exposição de artes plásticas que será exibida antes de todas as obras.

2ª edição do mOno_festival,idealizado pelo coletivo teatral 28 Patas Furiosas, irá acontecer entre 20 e 30 de agosto de 2020 por meio de apresentações veiculadas no canal do Youtube da companhia. Estão pautados sete espetáculos solosde teatro, dança e/ou performance ao vivo, sendo cinco deles apresentados no Espaço 28, sede do núcleo, e dois apresentados de galpões em Belo Horizonte (MG) e Crato (CE) para que se evite deslocamentos de equipes durante a pandemia do novo coronavírus; a apresentação de um cabaré – show de variedades em que sete participantes irão apresentar números artísticos de suas casas com mediação do ator Fredy Állan; rodas de conversas com todos os integrantes do mOno_festival e transmissão de dois shows gravados que fizeram parte da programação da 1ª edição do festival. Haverá ainda uma live de abertura da mostra no Instagram do 28 Patas Furiosas dia 19 de agosto, quarta-feira, 20h, reunindo o grupo e os curadores convidados, além de várias outras a partir do dia 11 de de agosto com artistas e curadores. Toda a programação é gratuita e a iniciativa é realizada por meio do Prêmio de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo – 34ª Edição.

As apresentações dos solos e a residência que irão acontecer no Espaço 28 irão reunir menor número possível de equipe técnica e respeitarão as recomendações de segurança para que se evite o contágio pela COVID-19. A segunda edição do festival é voltada a trabalhos de artistas residentes no Brasil, produzidos e/ou estreados entre os anos de 2013 e 2019. Os solos selecionados refletem o período de instabilidade na recente história brasileira e são focados na potência que vem da própria fragilidade do contexto cultural atual – da precariedade e da rusticidade, princípios seminais na pesquisa permanente do 28 Patas Furiosas. Importa ao grupo apresentar à sociedade um debate sobre as formas de produção atuais, assim como a ética/estética do período.

Seleção e programação

Foram recebidas 208 inscrições da Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Distrito Federal, além de uma inscrição de Nova Iorque (EUA). Há uma representante selecionada do Ceará (Bárbara Leite) e uma de Minas Gerais (Suellen Sampaio) – o restante é do estado de São Paulo. 

Sofia Botelho, uma das integrantes e fundadora do 28 Patas Furiosas, conta que no processo de seleção dos projetos contemplados, o grupo destacou a relevância de se pensar diversidade étnica, racial, de gênero e geográfica; excelência artística e também a conexão dos trabalhos com a proposta do edital, que é pensar na produção artística criada a partir do mínimo necessário para que a ação cênica aconteça. A curadoria foi composta por três integrantes do coletivo 28 Patas Furiosas (Isabel Wolfenson, Sofia Botelho e Valéria Rocha) e por mais três artistas para compor a curadoria do mOno_festival: Ave Terrena, Pedro Galiza e Verônica Santos.

Uma das integrantes do núcleo curatorial, Ave Terrena conta que os critérios surgiram espontaneamente após se darem conta de que os nomes pinçados se repetiam na pré-seleção de cada curador/curadora: “Tivemos uma grande liberdade para pensar curadoria em um formato que não fosse comercial ou que priorizasse apenas artistas reconhecidos/reconhecidas”, conta. 

Residência e solos – O artista residente selecionado foi GUM4 com o projeto (r)_e-c0L3t4.  Os seis solos são Birita Procura-se, de Ariadne Antico; Macacos, de Clayton Nascimento; Gênera, de Flow Kountouriotis; Cardinal, interpretado por Bárbara Leite; Zona Provisória, de Rubia Braga; e Marcapasso, de Suellen Sampaio.

Cabaré -No cabaré, foram escolhidos os números Graxa – Voz e Violão, de Alê Vianna; semana de arte baderna, um manifesto (uma hora dessas?), de Daniel Minchoni; AMATEUR: o espetáculo de um palhaço amador, de Daniel Satin; Bagã, de Ingrid Taveira; A Instabilidade Perpétua, de Matheus Moreira; Outra Direção, de Natália Nery e Mapulu, de Rocio Walls. O artista plástico Yago Goya foi selecionado excepcionalmente para realizar a exposição Célula Celular por Umabixa, que será exibida antes dos espetáculos do mOno_festival.
 

Sobre a residência artística


No dia 27 de agosto, a artista trans-não binárie GUM4 apresenta o espetáculo (r)_e-c0L3t4. GUM4 foi selecionada para cumprir um mês de residência no Espaço 28 e sua performance será o resultado da pesquisa. A obra, que portanto é inédita, nasce a partir do questionamento das relações sociais que permeiam a vida das pessoas e do tempo dedicado às tecnologias, o que inevitavelmente faz com que geremos uma grande quantidade de lixo eletrônico – O Brasil é o 4º maior país em produção de lixo, produzindo em 2018 mais de 79 milhões de toneladas. São 1,5 mil toneladas de lixo eletrônico todos os anos. Telefones, computadores, impressoras e drones são exemplos de eletrônicos que, perto do fim de suas vidas, podem se tornar e-lixos. 

Sobre os solos 

A performance Gênera, interpretada pelo artista não-binário Flow Kountouriotis, irá abrir o festival no dia 20 de agosto, às 21h. Escrito por Keli Freitas e dirigido por Carolina Bianchi (autora de trabalhos como LOBO e Quiero hacer el amorGênera tem a estrutura de uma conferência sobre gêneros gramaticais da língua portuguesa, tema que gera discussões sobre sexualidade, binarismo e identidade de gênero. 

No dia 21 de agostoAriadne Antico, a palhaça Birita, apresenta o solo Birita Procura-se. Ariadne é uma pessoa com deficiência – em seu caso, da paralisia cerebral “tipo coreoatetóide global”. No solo dirigido por Esio Magalhães, a palhaça está à procura de emprego e desafia suas limitações para poder alcançar essa meta. No processo, Birita tira sarro de seus movimentos involuntários e potencializa a pesquisa do seu próprio corpo para encontrar o cômico e um modo alternativo de lidar com um tema que ainda é tabu na sociedade e que muitas vezes faz com que os corpos com deficiência sejam vistos como “anormais” ou limitados.

Suellen Sampaio, artista mineira preta, apresenta Marcapasso no dia 22 de agosto. O espetáculo foi criado a partir do recolhimento de depoimentos de mulheres negras sobre o que é amor e conversas /leituras de textos de Gloria Jean Watkins, mais conhecida pelo pseudônimo bell hooks, autora, professora, teórica feminista, artista e ativista social estadunidense. O nome “bell hooks” (escrito propositalmente em minúsculas) foi inspirado na sua bisavó materna, Bell Blair Hooks. 

Diretamente do Crato, no Ceará, o festival recebe apresentação de Cardinal, espetáculo de linguagem híbrida entre teatro, cinema e performance interpretado por Bárbara Leite. A obra, que acontece dia 28 de agosto, acompanha a trajetória de uma mulher que abandona o cotidiano após refletir sobre sua condição humana. 

Rubia Braga se apresenta no dia 29 de agosto com o solo Zona Provisória, uma obra de dança criada a partir de inquietações da artista em relação ao tempo e o instante presente. Interessa à artista, que já integrou oNúcleo Artístico Vera Sala como bailarina convidada, os rastros, as ruínas e os desdobramentos, o labirinto das escolhas, das travessias.  

No dia 30 de agosto, encerrando o festival, o ator Clayton Nascimento apresenta Macacos, espetáculo que traz o relato de um homem negro sobre a estruturação do racismo e o apagamento de memórias e ancestralidades pretas no Brasil. No trabalho, Clayton recorre a personalidades que foram silenciadas durante a história, como Machado de Assis, Elza Soares, Bessie Smith e mães que perderam filhos para o genocídio negro do país.
 

Sobre o Cabaré
 

No dia 23 de agosto, 19h, está agendado o cabaré – um show de variedades que terá como Mestre de Cerimônias o ator Fredy Állan. Filmado ao vivo da casa de cada um dos participantes, o cabaré será transmitido ao vivo no canal do Youtube do 28 Patas Furiosas. Os artistas que irão apresentar números são Alê Vianna (música), Daniel Minchoni (poesia), Satin (palhaço), Ingrid Thaveira (palhaça), Matheus Moreira (dança), Natália Nery (música), Rocío Walls (teatro de bonecos) e Yago Goya (artes visuais).

No dia 24 de agosto, 20h, um Webinar do aplicativo Zoom irá transmitir uma roda de conversas com todos os participantes do mOno_festival. Nos dias 25 e 26 de agosto, serão veiculados, respectivamente, shows de Maurício Pereira e Josyaraque foram apresentados na primeira edição do festival – essa série recebeu o nome de Arquivo mOno. No dia seguinte, 27 de agosto, o artista não-binário Guma Muliterno apresenta o solo (r)_e-c0L3t4Guma é o artista residente, portanto seu solo está em processo final de criação.Serviço

2ª edição do mOno_festival

Todas as atrações serão transmitidas pelo canal do Youtube do 28 Patas Furiosas

19 de agosto, quarta-feira, 20h – Live de abertura com curadores convidados 2 elenco do 28 Patas Furiosas

Artista residente | Solo

27 de agosto, quinta-feira, 21h – (r)_e-c0L3t4 – GUM4

Solos

20 de agosto, quinta-feira, 21h – Gênera (Flow Kountouriotis) 

21 de agosto, sexta-feira, 21h – Birita Procura-se (Ariadne Antico) – transmissão ao vivo no canal do Youtube do 28 Patas Furiosas

22 de agosto, sábado, 21h – Marcapasso (Suellen Sampaio) – este espetáculo será filmado no galpão do grupo Espanca, em Belo Horizonte (MG)*.

28 de agosto, sexta-feira, 21h – Cardinal (Jamal) – exibição do espetáculo gravado pelos artistas no Crato (CE)*

29 de agosto, sábado, 21h – Zona Provisória (Rubia Braga) 

30 de agosto, domingo, 21h – Macacos (Clayton Nascimento)

Cabaré 

23 de agosto, domingo, 19h – Participantes: Alê Vianna (música), Daniel Minchoni (poesia), Satin (palhaço), Ingrid Thaveira (palhaça), Matheus Moreira (dança), Natália Nery (música), Rocío Walls (teatro de bonecos) e Yago Goya (artes visuais). Mestre de Cerimônias: Fredy Állan – O cabaré será filmado ao vivo na casa de cada um dxs participantes e transmitido ao vivo no canal do Youtube do 28 Patas Furiosas

Roda de Conversa

24 de agosto, segunda-feira, 20h – com participantes do mOno_festival (transmissão ao vivo no Webinar do Zoom)

Shows 1º mOno_festival(2018)

25 de agosto, terça-feira, 21h – Arquivo mOno – transmissão do show de Maurício Pereira 

26 de agosto, quarta-feira, 21h – Arquivo mOno – transmissão do show de Josyara 

Obs: Antes de todos os espetáculos, haverá exibição de obras visuais da exposição Célula Celular por Umabixa (Yago Goya);

Obs2: Xs integrantes da curadoria do mOno_festival entrevistarão xs artistas participantes em Lives no Instagram do 28 Patas Furiosas.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *