Notícias

Advogado Catarinense Considera Atitude de Ministro do STF de “Covarde”

Para o criminalista Claudio Gastão da Rosa Filho, o ministro Celso de Mello poderia antecipar sua aposentadoria ao invés de pedir licença, dois meses antes de deixar o STF. Gastão classificou de “covarde” a decisão do decano. “Melhor seria possibilitar a nomeação imediata de outro ministro, desatando o nó de votações importantes como, por exemplo, a que poderá definir a anulação da condenação do ex-presidente Lula, com a suspeição de Sergio Moro, comprometendo assim toda a Lava Jato. No placar atual, dois ministros já votaram a favor da tese da Lava Jato e dois indicaram que deveråo votar contra. Celso seria o voto de desempate.” Gastão lembrou também do livro O Código da Vida, do jurista Saulo Ramos que em determinado trecho frisava que Celso de Mello era um juiz de m…porque havia mudado um voto só para ficar de bem com a opinião pública. “Ele poderia dar um exemplo altruísta, patriota, com grandeza cívica, ao invés de se esconder atrás de um atestado médico para não expor o que ele pensa sobre a Lava Jato”, interpretou o advogado criminalista Cláudio Gastão da Rosa Filho.

Por: Lierge Coradini

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *