Brasil

Flávio Bolsonaro está com COVID-19

O senador Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, informou nesta terça-feira (25) que está com COVID-19, porém assintomático, e que iniciou um tratamento à base de cloroquina.

“O senador Flávio Bolsonaro está bem, em isolamento e está tomando cloroquina e azitromicina desde ontem (segunda-feira)”, informou sua assessoria em um comunicado.

O texto acrescenta que o político, de 39 anos, iniciou um tratamento com cloroquina e azitromicina na noite da segunda-feira. “Ele está se sentindo bem”, acrescentou a fonte.

Mais tarde, o próprio senador divulgou o prognóstico no Twitter:

“Testei positivo para covid-19. Estou bem, sem sintomas e tratando em casa com hidroxicloroquina e azitromicina. Obrigado a todos pelas mensagens de apoio e orações!”, escreveu.

Flávio Bolsonaro, atualmente sob investigação por um suposto esquema de pagamento ilícito em seu gabinete quando ainda era deputado estadual pelo Rio de Janeiro, é o quarto membro da família presidencial a ser diagnosticado com o novo coronavírus.

Jair Bolsonaro, de 65 anos, anunciou no início de julho que estava infectado, e semanas depois afirmou que tinha se curado por causa da cloroquina e da hidroxicloroquina, medicamentos sem comprovação científica no combate à doença.

No final do mesmo mês, sua esposa Michelle Bolsonaro, de 38 anos, também recebeu um diagnóstico positivo. Na semana passada, soube-se que Jair Renan, o quarto filho do presidente, de 22 anos, também estava com COVID-19.

A avó da primeira-dama, de 80 anos, faleceu com a COVID-19 no dia 12 de agosto.

Desde fevereiro, quando foi registrado o primeiro caso no país, o presidente questiona as medidas de quarentena ordenadas por governadores de todo país.

Bolsonaro já classificou o vírus como uma “gripezinha”. Em seis meses, a COVID-19 deixou mais de 115 mil mortos e 3,6 milhões de casos no país, o segundo mais afetado no mundo pela pandemia.

Foto: O senador Flávio Bolsonaro atrás do seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, em 28 de novembro de 2018.

AFP/Arquivos / Sergio LIMA

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *