Brasil

Governo Federal prometeu e não entregou profissionais de saúde para SC

Chegada de médicos vindos do Rio de Janeiro esbarra em questões legais. Déficit de recursos humanos é uma das principais preocupações do Estado.

Em julho, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, realizou uma visita a Santa Catarina para discutir as principais necessidades do Estado no enfrentamento à pandemia de Coronavírus. Na ocasião, o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de SC (Cosems/SC) entregou um documento com reivindicações para o ministro, incluindo a contratação de profissionais de saúde.

Uma das soluções propostas por Pazuello seria a vinda de profissionais que atuaram em hospitais de campanha do Rio de Janeiro para trabalhar em Santa Catarina. Entretanto, um mês depois, as tratativas não avançaram. Segundo o presidente do Cosems/SC e secretário de Cunha Porã, Alexandre Fagundes, as negociações ainda estão acontecendo, mas a chegada dos profissionais está esbarrando em questões legais. 

“A grande dificuldade é a forma legal de realizar estas contratações, de fazer o translado destes profissionais. Tem uma série de normativas que regulamentam todo esse processo e isso tem dificultado este movimento”, ressaltou. 

O déficit de médicos e enfermeiros ainda é uma das principais dificuldades no combate à pandemia em Santa Catarina. Na última semana, o secretário de Estado de Saúde, André Motta Ribeiro, afirmou que o Estado tinha uma série de leitos de UTI quase prontos para operar, mas que não eram colocados na ativa por falta de profissionais. 

“Eu tenho hoje mais de 120 leitos de UTI que poderiam ser ativados no Estado, que já tem recurso financeiro disponibilizado, já têm equipamentos disponibilizados aos hospitais, mas existe uma dificuldade pontual de RH”, destacou.

Para contornar o problema, o governo do Estado está com vagas abertas para contratação de trabalhadores da saúde em diversas unidades. Além disso, os municípios também estão transferindo profissionais para locais onde a demanda é maior, principalmente quando é necessário ativar leitos de UTI.

Outras demandas

O documento entregue pelo Cosems/SC também solicitava ao ministro novos lotes de medicamentos para kits de intubação e a necessidade de ampliação dos leitos de UTI. Segundo o presidente da entidade, essas reivindicações começaram a ser cumpridas. 

“O Ministério fez toda uma força, juntamente com a SES [Secretaria de Estado da Saúde], e nós estamos conseguindo fazer algumas aquisições destes medicamentos. Nós também tivemos a atenção do Ministério na habilitação de leitos novos e conseguimos aumentar em algumas regiões, como na Grande Florianópolis e no Vale do Itajaí”, destacou Fagundes.

Resposta do Ministério

Procurado pela reportagem, o Ministério da Saúde afirmou que enviou a Santa Catarina o banco de dados do programa “O Brasil Conta Comigo”. Ação funciona como um cadastro geral de profissionais da área da saúde para atuarem no território nacional, porém, até o fechamento do texto, o Ministério não respondeu como estão as tratativas para a chegada destes profissionais.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *