Internacional

Conselheiro de Trump é eleito presidente do BID

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) elegeu como presidente o americano Mauricio Claver-Carone, conselheiro do presidente Donald Trump, superando uma polêmica regional causada pela ruptura da tradição segundo a qual a entidade era liderada por um latino.

O conselheiro sênior da Casa Branca para a América Latina concorreu como candidato único na votação virtual dos 48 governadores, e irá suceder o colombiano Luis Alberto Moreno a partir de 1º de outubro, por um período de cinco anos.

Claver-Carone recebeu 30 votos dos governadores, com 23 apoios da América Latina. Para vencer, o candidato deve ter o apoio de pelo menos 15 dos 28 países das Américas, que são 26 países que recebem créditos, mais Estados Unidos e Canadá.

“Quero agradecer a todos os nossos parceiros na região por manterem a integridade deste processo eleitoral e por compartilharem nossa visão comum de um BID mais forte e com maior capacidade de resposta”, declarou Claver-Carone.

No comando da organização, com sede em Washington, o funcionário do alto escalão americano terá que lidar com a profunda crise na região e uma eventual reconstrução da Venezuela. O chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, felicitou Claver-Carone e o classificou como “um líder visionário no fomento da prosperidade no Hemisfério Ocidental”.

O conselheiro da Casa Branca para a Segurança Nacional, Robert O’Brien, cumprimentou Claver-Carone por ser o primeiro americano a liderar o BID. “Não há defensor melhor da América Latina e do Caribe! Sentirei sua falta, mas as Américas ganharam hoje!”, tuitou.

A decisão dos Estados Unidos – principal acionista do BID, com 30% – irritou Argentina, Chile, Costa Rica e México, que argumentaram que a votação deveria ter sido novamente adiada, já que a pandemia não permitiu um debate adequado.

Um contrapeso à influência chinesa

Com a eleição do conselheiro, a diplomacia americana soma uma vitória, a menos de dois meses das eleições presidenciais no país. Claver-Carone, 45, advogado de origem cubana, é conhecido por sua oposição firme a Havana e Venezuela.

O lançamento repentino do candidato americano gerou surpresa, uma vez que a linha da política externa de Trump tem sido contrária ao multilateralismo e às instituições internacionais, como mostra sua intenção de se retirar da OMS. Mas foi mais forte a promessa de Claver-Carone de que sua presidência será um contrapeso à entrada agressiva de empréstimos de Pequim na região.

O papel do BID será central em uma região devastada pela pandemia, onde o FMI prevê uma contração econômica de 9,4%. Também será capital para uma eventual reconstrução da Venezuela em caso de mudança no governo.

O banco é a única instituição financeira multilateral a reconhecer como membro um delegado do parlamento, e não do governo Maduro, que não é reconhecido por mais de 50 países.

O BID nasceu em 1959, dentro da Organização dos Estados Americanos (OEA), e teve quatro presidentes: o chileno Felipe Herrera (1960-1970), o mexicano Antonio Ortiz Mena (1970-1988), o uruguaio Enrique Iglesias (1988-2005) e Luis Alberto Moreno.

Foto: O presidente americano, Donald Trump.

AFP / Brendan Smialowski

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *