Política

Ada vota pela continuidade do Impeachment dos Respiradores

As provas que identificaram atos de conivência e de omissão na compra dos 200 respiradores pulmonares por R$ 33 milhões deram base para o voto da deputada estadual Ada Faraco de Luca (MDB) para o prosseguimento do processo de impeachment do governador Carlos Moisés (PSL). Em discurso nesta terça-feira (20), Ada se solidarizou pelas quase 3.000 mortes por coronavírus registradas em Santa Catarina, além dos mais de 235 mil pacientes diagnosticados com a doença.


“O próprio desfecho desta compra é público e notório. Apenas parte dos respiradores foram entregues, com atraso. Se isso não bastasse, os equipamentos não se adequam às necessidades de atendimento aos pacientes acometidos pelo coronavírus. Por fim, menos da metade do dinheiro investido antecipadamente pelo Estado de Santa Catarina foi ressarcido aos cofres públicos”, disse Ada.


“Diante da análise dos volumes que constam nos autos, concluí que existe amplo lastro probatório, provas essas que dão respaldo quanto à materialidade dos fatos e dos indícios de autoria aqui investigados. As condutas comissivas e omissivas dos denunciados foram devidamente tipificadas. Quando se fala em conduta comissiva, significa que houve intenção de cometer a irregularidade. Quando se fala em conduta omissiva, significa que não foram tomadas atitudes que evitassem as irregularidades”, justificou Ada.


Além das questões analisadas pela Assembleia Legislativa, Ada lembrou, também, dos atos que estão sendo apurados pelo Poder Judiciário. “A crise institucional instalada em Santa Catarina impossibilita que os catarinenses tenham acesso às políticas públicas de saúde que lhes garante o que é mais precioso: a vida. Cabe a nós, parlamentares, colaborarmos com o povo catarinense naquilo que nos cabe: que é zelar pela fiscalização, pela transparência e pelo uso correto e racional do dinheiro público”, afirmou Ada.

Solidariedade às vítimas e estimativa de mais mortes
Ada se solidarizou pelas mortes e pelos pacientes com coronavírus. “Hoje é mais um dia triste para Santa Catarina. Triste porque 2.967 pessoas morreram com coronavírus em Santa Catarina. Mais de 235 mil pessoas contraíram coronavírus. Neste momento, mais de 10 mil pessoas estão com coronavírus no Estado”, lamentou Ada.
A parlamentar lembrou que a taxa de letalidade atual em Santa Catarina é de 1,32%. “Estatisticamente, a cada 100 pessoas com coronavírus, uma pode morrer. Façam as contas e vejam o tamanho da tragédia que ainda está por vir. Sim, a pandemia ainda não acabou”, disse.

Responsabilidade norteou voto e trabalho em comissão
Por força regimental, Ada fez a instalação da comissão, presidida pelo deputado Fabiano da Luz (PT) e a relatoria do deputado Valdir Cobalchini (MDB). “Nosso trabalho na comissão procurou analisar as informações necessárias, bem como oferecer todos os subsídios aos eminentes deputados estaduais”, afirmou Ada, que foi eleita vice-presidente da comissão especial que produziu o relatório do processo.
Conforme a parlamentar, o trabalho exigiu extrema responsabilidade. “Confesso, ao longo de tantos anos de atuação na vida pública, esta não é a primeira vez que me encontro diante de uma decisão importante que precisa ser tomada. Mas, deliberar sobre um pedido de impeachment, é algo que exige extrema responsabilidade. E foi com esse sentimento de responsabilidade que nós trabalhamos na comissão especial que analisou a matéria em discussão”, disse Ada.

No link, vídeos com a íntegra do discurso em plenário e declaração para a imprensa:https://we.tl/t-rhPi0B2uxI

Alta Magagnin (48) 99935-3597(48) 99919-0611
@altamagagnin


Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *