Atualidade

Turismo sustentável pode prosperar em meio à crise do coronavírus

A pandemia Covid-19 teve um grande impacto na indústria do turismo suíça, à medida que os turistas repensam seus hábitos de consumo e viagens. Aurelia Kogler, professora de turismo, vê a crise como uma oportunidade para uma forma mais sustentável de lazer ganhar popularidade.

Quais mudanças no comportamento dos turistas você observou?

Aurelia Kogler: Os suíços agora estão passando as férias em seu próprio país. Esse sempre foi um objetivo da indústria do turismo. As restrições que foram impostas como resultado da pandemia parecem ter causado essa mudança na demanda.

A temporada de verão foi salva graças aos turistas suíços. O verão também foi melhor que o esperado para destinos nas montanhas. Mas este não foi o caso do setor de viagens urbanas. A crise afetou todos os prestadores de serviços turísticos que dependem de eventos de grande escala para sua receita.

O que mais você observou?

A demanda por apartamentos de férias também aumentou desproporcionalmente neste verão. Isso provavelmente se deveu em parte às regras de higiene e distanciamento e em parte à necessidade de se sentir seguro.

Também vimos que o mercado de viagens de longa distância entrou em colapso total. No momento é impossível visitar alguns países, seja porque há uma proibição de entrada, ou porque simplesmente não há voos suficientes. Outras regiões são acessíveis, mas há um certo risco envolvido e várias restrições também. As pessoas também se perguntam quando estão escolhendo um destino se realmente vale a pena.

Mas os suíços adoram voar …

Sim, os suíços adoram viajar para o exterior. Mas isso mudou completamente.

Se, apesar de todo o drama, quisermos encontrar uma fresta de esperança nessa situação, podemos dizer que a pandemia tornou nossos meios de transporte mais sustentáveis. Resta saber se essa mudança de comportamento continuará quando a situação voltar ao normal. Mas, no momento, o ambiente está definitivamente se beneficiando da redução no número de voos e nas distâncias percorridas.

Aurelia Kogler
Aurelia Kogler é professora de turismo e lazer no Centro de Pesquisa de Política Econômica da Universidade de Ciências Aplicadas dos Grisões.

A crise poderia ser o ponto de partida para uma forma de turismo mais sustentável?

O ecoturismo tem sido um setor de nicho por décadas. Nos últimos anos, a questão da sustentabilidade se tornou mais importante. A ideia não só foi introduzida em diferentes textos legais, mas também evoluiu para um tipo de comportamento que é valorizado socialmente. A pandemia realmente levou a um questionamento, e pelo menos temporariamente, a uma mudança de comportamento.

Essa tendência vai continuar?

Como profissionais do turismo, é claro que estamos curiosos para ver quais aspectos do comportamento das pessoas farão entrarão para o DNA dos viajantes. Teremos que ver se no futuro as pessoas serão um pouco menos negligentes em relação a voar para um fim de semana aqui ou um fim de semana ali, só porque podem.

Também temos que ter esperança de que a demanda por férias de verão nas montanhas se torne uma tendência de longo prazo. Quando vemos o número de famílias que passaram parte do verão nas montanhas podemos apenas esperar que elas tenham visto por si mesmas a atratividade dos destinos alpinos e que talvez as crianças digam: “Queremos voltar aqui!”

É uma grande oportunidade para o turismo alpino, mas também há a tendência de ser esquecida rapidamente. Dito isso, é verdade que essa crise foi significativa. O mundo inteiro é mais ou menos terrivelmente afetado em quase todos os aspectos da vida. Portanto, pode ser que certos comportamentos mudem para sempre.

Que questões de pesquisa estão sendo analisadas no setor de turismo?

A questão mais urgente é descobrir como será o inverno e o que podemos fazer para torná-lo bom. Estamos em contato direto com os gestores do setor e com os destinos turísticos. A tendência atual parece sugerir que as pessoas estão hesitando um pouco sobre as reservas para o inverno. As pessoas estão esperando para ver o que acontece. Esse comportamento é perfeitamente humano e completamente compreensível. 

Que outras mudanças você observou como resultado da Covid-19?

Uma questão que nos preocupará muito no futuro é a mudança de comportamento no local de trabalho, principalmente em termos de trabalho remoto. Por um lado, isso deve levar a uma mudança no mercado imobiliário de escritórios e impactar os centros urbanos. Por outro lado, as pessoas também poderiam viver e trabalhar em áreas rurais mais remotas sem ter que se deslocar para o trabalho.

Voltando ao turismo, a questão é saber se há oportunidade para destinos turísticos e se novos produtos e soluções turísticas podem ser desenvolvidos.

Se as pessoas não precisam mais estar em um determinado local para fins de trabalho, muitos podem querer se mudar para mais perto da natureza e do campo. Portanto, no médio a longo prazo, existe a possibilidade de fortalecer destinos turísticos e regiões rurais que são mais frágeis estruturalmente. Mas estamos apenas no começo.

Você acha que a crise do coronavírus terá efeitos de longo prazo no turismo?

Sim, por um lado, terá um efeito nas empresas que operam com uma base patrimonial muito pequena. Mas agora nós ainda não sabemos o suficiente sobre como a situação econômica na Europa vai evoluir e qual será o impacto da pandemia sobre a taxa de desemprego nos principais mercados turísticos. O aumento do desemprego é uma das principais ameaças ao turismo e não apenas na Suíça.

Foto: Os destinos nas montanhas se saíram bem neste verão, já que os turistas suíços optaram por ficar perto de casa – e da natureza – durante suas férias. Keystone / Laurent Gillieron

SWI

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *