Comportamento

ONG Bairro da Juventude forma rede de apoio em Criciúma durante a pandemia

Instituição apoiada pelo projeto VOA viu a necessidade da criação de novas estratégias para atender a comunidade

A pandemia do Covid-19 fez o cenário de desigualdade social no Brasil ficar ainda maior. Em Criciúma, no Sul de Santa Catarina, não foi diferente. Atendendo cerca de 1,5 mil crianças, de 4 meses a 18 anos, o Bairro da Juventude, instituição com foco na educação, inclusão social, promoção e proteção dos direitos das crianças e jovens viu a necessidade de buscar novos caminhos e estratégias de atuação adequadas para o momento atual. 

Foi necessária a criação de mecanismos para diagnosticar e atualizar constantemente a situação familiar dos atendidos, que atingiu a marca de 900 famílias entre abril e outubro. “Esse movimento gerou um estreitamento da relação com as famílias e os territórios atendidos. Estivemos muito presentes e acabamos abrindo os olhos para outras problemáticas”, explica Anézio Luiz de Souza, diretor técnico e de projetos da ONG.

Para isso acontecer, um comitê foi criado dentro do Bairro da Juventude para garantir a segurança alimentar, encaminhar adultos para vagas de emprego, instalar computadores nas casas das famílias com crianças em aula online, suporte com medicamentos, gás etc. 

Desde o mês de abril, dentre os muitos números que chamam a atenção, estão os mais de 14 mil atendimentos realizados em Criciúma e região pela instituição social, 127 mil kg de alimentos e 16,6 mil litros de produtos de higiene e limpeza doados, além de 50 famílias de imigrantes atendidas. 

A ONG catarinense está entre as instituições que fazem parte do programa VOA, da Ambev. Há dois anos integrando o VOA, o diretor técnico do Bairro da Juventude afirma que aprenderam muito sobre comunicação e que isso foi de extrema importância nesse momento de crise. “Assim que começou a pandemia montamos um comitê de movimento e a primeira ação que tomamos foi de intensificar e criar mais canais de comunicação com os diferentes públicos de relacionamento do BJ. Acreditamos que esse movimento foi vital para criarmos ainda mais conexão com as necessidades das famílias e conseguirmos envolver o público estratégico para desenvolver as ações propostas”, coloca ele. 

Outro aspecto que o programa colaborou foi o acompanhamento constante aos indicadores, responsável por manter a receita e gerar equilíbrio financeiro. “O apoio do programa VOA nos inspirou a sonhar grande e criar desafios até então distantes de nossa realidade, permitiu ter alguém externo que nos auxiliou, provocou e acompanhou nesse processo, gerando uma energia e cumplicidade nunca experimentada pelo time”, salienta Anézio.  Para a ONG, a maior contribuição foi o crescimento institucional, com acesso a ferramentas e processos de gestão que estão sendo gradativamente incorporados para todas as áreas da organização. “Contribuiu ainda para que pudéssemos inspirar em diferentes públicos o desejo de transformar o mundo”, finalizou o diretor.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *