Notícias

FNCP lança série documental que aprofunda soluções para o contrabando de cigarros no Brasil

Continuação do longa estreou na última semana com episódios sobre: Paraguai, Fronteira, Crime e Soluções. A produção é assinada pela Vice Brasil

“Por que o cigarro no Brasil é taxado em 70% e no Paraguai em 18%? É essa diferença que alimenta a indústria do contrabando. Se tivéssemos impostos equivalentes, não teríamos tanto contrabando”. A afirmação do jornalista investigativo Mauri Konig permeia o debate sobre como solucionar o problema do contrabando de cigarros no Brasil e faz parte do episódio Soluções da mini série documental Cigarro do Crime, que estreou na última semana no canal do YouTube do Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP).

Produzida pela Vice Brasil em parceria com o FNCP, a série é uma continuação do longa homônimo e amplia a discussão sobre o impacto do mercado ilegal de cigarros no país, que apenas no último ano, movimentou para o crime organizado cerca de R$ 10,9 bilhões e causou a evasão fiscal de R$12,2 bilhões – esta foi a primeira vez que a evasão no setor superou a arrecadação tributária. O cigarro do crime já corresponde a 57% do mercado de cigarros no Brasil, segundo levantamento do Ibope de 2019.

Com quatro episódios – Paraguai, Fronteira, Crime e Soluções -, a mini série apresenta entrevistas e imagens inéditas que mostram como o Paraguai se tornou um produtor tão grande de cigarros, como o cigarro do crime chega ao Brasil e o trabalho incansável das forças de segurança para frear essa atividade criminosa e o tamanho do problema no país, que impacta não só o fumante, mas a sociedade de modo geral.

“É preciso tornar o cigarro nacional competitivo com relação à mercadoria vendida no Paraguai”, afirma Mozart Fuchs, delegado geral da Polícia Federal de Foz do Iguaçu, no quarto episódio, que propõe o debate das soluções para o enfrentamento efetivo do crime de contrabando, que passam por ações de combate e repressão, pelo despertar da consciência na sociedade para reprimir o consumo deste tipo de produto, e, principalmente, pela tomada de medida por parte do governo para enfraquecer o produto ilegal.

“Nos últimos anos, vimos uma evolução no trabalho integrado nas fronteiras, resultado de medidas policiais e de cooperação entre Poderes, com programas e forças-tarefas nas áreas de inteligência, gestão e operacional. Porém, o contrabando de cigarros é um problema complexo e que não se combate apenas com ações de repressão. É necessário freá-lo frente os incentivos legais e econômicos hoje existentes”, aponta Edson Vismona, presidente do FNCP.

Os episódios ficam disponíveis gratuitamente no canal do FNCP no YouTube. Assim como o longa, contam com a direção de João Wainer, fotojornalista investigativo que mergulha fundo em temas complexos e que permeiam a sociedade brasileira.

Saiba mais sobre o que cada episódio reserva:

Mini documentário “Cigarro do Crime”

Episódio 1: Paraguai
Como o Paraguai se tornou um produtor tão grande de cigarros? O país produz anualmente 71 bilhões de cigarros, mas conta com um mercado interno de apenas 2,3 bilhões de consumidores. Legalmente, exporta 1,5 bilhão por ano e o restante, 67,2 bilhões de cigarros paraguaios, são contrabandeados justamente para o Brasil.
Para entender como a indústria do cigarro do crime se sofisticou em tão pouco tempo, a equipe da Vice Brasil foi ao país vizinho para mostrar como essa indústria bilionária do cigarro não se constrói do dia para a noite. A equipe visitou a Sede de Operações Aduaneiras em Assunção, conversou com Emilio Fuster, Ministro no Combate ao Contrabando, e Miguel Prieto, prefeito da Ciudad del este, além de jornalistas e outros políticos que contam como funciona essa rede.

Episódio 2: Fronteira
Como o cigarro do crime chega ao Brasil? Se você pensou naquela cena clássica, de sacoleiros atravessando a ponte da amizade e carros de passeio com o produto escondido debaixo do banco, você ficou no passado. Operado por grandes organizações criminosas, o contrabando de cigarros é realizado por terra e água, numa ofensiva sangrenta e cotidiana contra as forças de segurança brasileira. Nas estradas, os contrabandistas pilotam veículos a mais de 250 km/h, e soltam fumaça pela pista e pregos no asfalto. Nos rios, na alta madrugada, a polícia precisa usar óculos com visão noturna para identificar os barcos tunados que incansavelmente vão de margem a margem na fronteira hídrica entre o Brasil e o Paraguai.
Em meio a tudo isso, o trabalho integrado entre as Polícias Federal, Rodoviária Federal e Estaduais, em parceria com a Receita Federal, e as ações de inteligência na apreensão do contrabando, fruto do programa VIGIA e da Operação Hórus, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, avança e faz com que o país alcance vitórias expressivas no enfrentamento ao crime organizado. Mas serão elas suficientes?

Episódio 3: Crime
O mercado de cigarros ilegais não é nada pequeno. Com a travessia ilegal do cigarro paraguaio o crime vem junto, envolvendo ex-chefes de estado, sonegação de impostos, suborno das polícias, e o financiamento de facções criminosas e milícias. Quem são os personagens que fazem parte desse ciclo criminoso?

Episódio 4: Soluções
Como acabar com o contrabando de cigarros no Brasil? Como livrar o país dessa chaga que ceifa vidas e causa impactos para a sociedade como um todo? De que forma o país pode evitar que isso saia ainda mais do controle? Este talvez seja o episódio mais importante dessa séria, pois trata das soluções, de medidas que dependem sim, do governo brasileiro, mas que contam também com a conscientização e luta de cada cidadão.

Sobre o FNCP
O FNCP – FÓRUM NACIONAL CONTRA A PIRATARIA E ILEGALIDADE é uma associação civil, sem fins lucrativos, formada em 2006 por entidades setoriais empresariais, empresas e sindicatos. É a maior associação brasileira com foco exclusivo no combate à ilegalidade.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *