Itajaí

Município participa de audiência pública para reivindicar hemocentro para Itajaí

O Município, por meio da Secretaria de Saúde de Itajaí, participou na quarta-feira (25) de uma audiência pública para reivindicar a implantação de um hemocentro ou posto de coleta de sangue fixo e centro transfusional em Itajaí. A reunião foi realizada na Assembleia Legislativa de Santa Catarina com a participação dos deputados estaduais membros da Comissão de Saúde da Casa. A audiência contou com a participação do secretário de Saúde de Itajaí, Celso Luiz Dellagiustina, que defendeu a reivindicação, além do vereador de Itajaí Carlos Augusto Rosa, o Calinho Mecânico, representantes do Hemosc, do Parlaamfri, de hospitais da região, entre outras autoridades. O secretário Dellagiustina lembrou no encontro que a busca por um hemocentro em Itajaí é um pleito antigo dele e do prefeito Volnei Morastoni. “Em 2013, quando estávamos trabalhando na Assembleia, nós já havíamos pedido a mesma coisa para a Secretaria de Estado da Saúde”, informou. Dellagiustina ainda destacou na audiência que o Estado está dividido em nove macrorregiões, sendo que a Foz do Rio Itajaí representa cerca de 10% da população catarinense. “É inconcebível uma região tão importante não ter um centro transfusional perante as necessidades de saúde da população, que tem que recorrer a Blumenau sempre que precisa”, afirmou. Atualmente, Itajaí conta apenas com coletas de sangue mensais ou quinzenais na Univali, conforme disponibilidade do Hemocentro de Blumenau. O secretário de Saúde de Itajaí, Celso Luiz Dellagiustina, ponderou ainda que a região da Amfri possui o hospital de maior complexidade de Santa Catarina, o Marieta, que em breve – com a inauguração do Complexo Madre Tereza –, passará de 384 leitos para 585 leitos, ampliando a necessidade transfusional da região. “Ter um hemocentro em Itajaí será importante não só para o Marieta, mas para todos os hospitais da região. Embora a representante do Hemosc tenha feito uma fala técnica sobre a não necessidade da implantação de um hemocentro em Itajaí, dizendo que o Hemosc vem descartando 6% de volume de sangue coletado no Estado, ela não soube responder quais cidades têm esse descarte quando questionada por mim. Isso significa que em Itajaí não há descarte de sangue”, completou Dellagiustina. O secretário também se comprometeu em levar a demanda da região para a próxima reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), em Florianópolis.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *