Balneário Camboriú

Prefeito Fabrício Oliveira recebe a LAP para reestruturação da faixa de areia

O Instituto do Meio Ambiente do Estado, antiga Fatma, aprovou a Licença Ambiental Prévia (LAP) para o projeto de reestruturação da faixa de areia da praia Central de Balneário Camboriú e da construção do molhe do Pontal Norte. A entrega da documentação para pagamento das taxas foi feita ao prefeito Fabrício Oliveira e ao vice-prefeito Carlos Humberto Silva, na manhã desta quinta-feira (5), na sede do Instituto em Florianópolis.

Desde o início de 2017, o Governo Municipal reuniu-se inúmeras vezes com a Fatma para pleitear a licença prévia, uma das fases mais complexas dos licenciamentos necessários para execução da reestruturação da faixa de areia. Viagens de estudo foram feitas para analisar os impactos, em um esforço que reuniu técnicos com expertise no assunto. “Foram solicitadas adequações ao projeto e colocamos nossa energia para que tudo atendesse ao que foi estabelecido pelos órgãos ambientais, porque sabemos que a reestruturação da faixa de areia consolidará o nosso turismo ainda mais, e dar uma nova perspectiva turística e econômica para nossa cidade”, disse o prefeito Fabrício.

Após o pagamento das taxas que deve ser efetuado até essa sexta-feira (6), o Instituto emite um documento com o selo da licença, cuja entrega está prevista para o início da próxima semana. “A Administração Municipal não mediu esforços para se adequar ao que tinha que ser arrumado. É um estudo muito complexo. Eu tenho certeza que é uma obra que vai destacar não só o Estado, mas o país, e o Município irá se orgulhar muito”, disse o presidente do Instituto do Meio Ambiente, Alexandre Waltrick Rates.

Com a reestruturação, a Praia Central deverá ficar com cerca de 50 metros a mais de faixa de areia. Atualmente há trechos com apenas 25 metros. No local serão colocados 2,4 milhões de metros cúbicos de material trazidos de jazidas que ficam a cerca de 15 km da costa, mas que tem o mesmo tipo de componentes orgânicos existente na faixa de areia. O próximo passo é cumprir as exigências da LAP, e captar os recursos para a realização da obra, orçados em ceca de R$ 70 milhões. O prazo total previsto para a execução da obra é de nove meses, no entanto, pode ser executado por trechos.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *