NavegantesNotícias

PREFEITO DE NAVEGANTES FALA DO RESULTADO DE SUA IDA A BRASÍLIA

O prefeito de Navegantes Emílio Vieira esteve em Brasília nesta semana tratando de três importantes assuntos. Entre as pautas, a liberação dos recursos previstos para a desapropriação das áreas destinadas a ampliação do Aeroporto, a liberação dos recursos para a construção do Molhe de Gravatá e apoio para a Recuperação da Faixa de Areia da Praia de Gravatá.

Aeroporto

Seu primeiro compromisso foi na sede da Infraero, onde se reuniu com o presidente da entidade Antônio Claret de Oliveira. O encontro contou, também, com a participação do presidente da Associação Comercial e Industrial de Navegantes (ACIN), Rinaldo Luiz de Araújo, da presidente da Regional Vale da Facisc, Maria Izabel Pinheiro Sandri, do secretário de Governo da Prefeitura de Navegantes, Cassiano Weiss, do presidente da Santur, Valdir Walendowsky, do deputado federal Jorginho Melo e do senador Dalírio Beber, membros do Fórum Parlamentar Catarinense. Durante a reunião foi cobrado acordo estabelecido entre o município e o governo federal, que assinou um contrato de intenção no qual seriam destinados R$ 150 milhões para as desapropriações, a serem pagos em quatro parcelas, três no valor R$ 40 milhões e uma de R$ 30 milhões, sendo liberadas anualmente, mas até hoje os recursos não foram liberados e não há previsão para que isso aconteça. O prefeito Emílio lembrou que esta situação já vem se arrastando há bastante tempo e os proprietários de imóveis na área prevista para a ampliação estão esperando há anos, sem poder realizar melhorias, construir ou vender suas propriedades. “Apesar de existir este acordo formal, assinado em 2017, não há previsão da liberação dessas parcelas. Fizemos algumas propostas, vamos também formar um conselho para unir forças, trabalhar em conjunto e buscar o apoio devido a esta questão, que não é só de interesse de Navegantes, mas de todo o estado de Santa Catarina”, enfatizou o prefeito, informando que também  foram apresentadas duas propostas, a primeira para tentar incluir esses recursos no orçamento da união e a segunda proposta seria utilizar recursos do Fundo Nacional de Aviação Civil, mas para isso teria que mudar a Lei, pois este fundo não prevê a utilização de recursos para desapropriações.

 

Molhe do Gravatá

A liberação dos recursos para a construção da primeira etapa do molhe de Gravatá foi tema de outra reunião, desta vez na Secretaria de Infraestrutura Hídrica, com o coordenador geral Paulo Roberto Soares Júnior. O prefeito de Navegantes explicou que a obra já está licitada e aguarda apenas o aporte do Ministério da integração para iniciar os trabalhos. O coordenador se comprometeu a dar celeridade ao processo, já que todas as etapas foram cumpridas e disse acreditar que dentro de 15 dias o dinheiro estará liberado e a obra poderá ser iniciada logo em seguida.

 

Recuperação da faixa de areia da Praia de Gravatá

Outro importante assunto tratado em Brasília, desta vez na Secretaria de Prevenção e Defesa Civil, foi o apoio para que o município consiga viabilizar o projeto de recuperação da faixa de areia da Praia de Gravatá. O coordenador geral da entidade, Mushue Dayan Hampel Vieira, disse ser possível conseguir recursos da Defesa Civil, através da elaboração de um projeto de prevenção e se comprometeu a vir ao município em breve, para ajudar na orientação e elaboração do projeto, que atualmente está sendo desenvolvido pelo Comitê Municipal de Recuperação da Praia de Gravatá, formado por membros do governo municipal e representantes da sociedade civil organizada.“Estamos fazendo todos os esforços para conseguir liberar estes recursos tão importantes para o desenvolvimento de nosso município e região. Vamos continuar cobrando, juntamente com as entidades e membros da bancada parlamentar catarinense, que o governo federal olhe com carinho para Navegantes”, justificou o prefeito.

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *