Entrevista

Folha do Litoral conversou Nilson José, gerente do Mercado do Peixe

Atualmente, além de empresário, você integra a Diretoria de Pesca (Gerente do Mercado de Peixe) de Itajaí. Fale a respeito.

Realmente, há 15 anos a minha família mantém uma empresa no ramo de pet; porém, minha trajetória profissional é muito marcante na atividade pesqueira de Itajaí e região, com mais de 30 anos dedicados a essa atividade. Por isso, fazer parte da Diretoria de Pesca de Itajaí, conhecida como Capital da Pesca, para mim é motivo de orgulho, o que me anima a me dedicar ao máximo fazendo a minha parte.

Como foi o início de sua trajetória na atividade pesqueira?

Iniciei aos 16 anos, na empresa Sul Atlântico de Pesca, montando caixas de madeira para transporte de pescados. Passei por setores como descarga e controle de qualidade; e, como pescador, atuei nas seguintes embarcações: Tenente Abílio, Sul Atlântico 10 e Mar Cáspio I. Na década de 90, ingressei no Rádio ocupando os principais microfones de emissoras catarinenses apresentando o Programa Pesca e Notícia, tornando-me uma das vozes mais ouvidas nas comunidades pesqueiras de nosso Estado. Também apresentei o Programa Nossa Pesca, pioneira em TV aberta local a mostrar a pesca industrial, na TV Brasil Esperança. Em 2011, fui coordenador da Estação Rádio Costeira de Itajaí, quando ajudei a realizar 32 resgates.

Além das atividades afins, ligadas à pesca, a imprensa noticiou recentemente alguns projetos de sua iniciativa que repercutiram positivamente. Pode falar sobre esses projetos?

Em 2006, dada a minha experiência a bordo da embarcação, desenvolvi o “Projeto Saúde a Bordo”, prevenção, atendimento e acompanhamento à saúde do pescador – praticamente só, contando apenas com a valiosa ajuda do amigo Sandro Simas. Realizamos três campanhas de combate à Dengue e distribuímos mais de 15 mil preservativos. Esse projeto motivou a criação da Lei 5.149, de 08 de julho de 2008, sancionada pelo Prefeito Volnei Morastoni, que instituiu a Semana da Saúde do Pescador; outro projeto foi o “Ta na Rede”, com a instalação do primeiro Telecentro de Informática, com acesso à Internet Livre, em parceria com o Governo do Estado, inaugurado em 2007, e que ainda hoje atende a muitas pessoas de nossa cidade. Realizei também o projeto Endemar, onde promovemos um trabalho de interlocução entre a Delegacia da Capitania dos Portos e os Despachantes Marítimos ligados à pesca, buscando soluções pertinentes.

Além dessas iniciativas no âmbito social, você também tem produções na área artística e cultural, com alguns eventos.

Exatamente. Sou autor do livro Histórias de Pescador, que traz uma coletânea de histórias hilárias e humorísticas, contadas por profissionais da pesca; desenvolvo também o projeto Biblioteca à Bordo – Navegando na Cultura Popular Catarinense, que distribui livros à bordo das embarcações pesqueiras, buscando melhorar o nível cultural e o senso crítico dos pescadores, contando com apoio da nossa Biblioteca Pública Municipal, da Academia Catarinense de Letras e da Academia de Letras do Brasil (Seccional de Itajaí), da qual sou membro efetivo. Quanto ao livro, é uma homenagem aos trabalhadores do mar, o qual autografamos, entregando pessoalmente a diversas personalidades como ao Ex-Presidente Lula, à atriz Renata Sorrah e a outros.

Como integrante da Diretoria de Pesca da Administração de Itajaí, você tem promovido também eventos culturais no Mercado de Peixe, oxigenando aquele espaço com atrações artísticas. Fale um pouco a respeito.

O Prefeito Volnei Morastoni entende que o Mercado do Peixe é um dos principais cartões postais da nossa cidade, frequentado não somente por moradores de Itajaí, mas também por turistas de todo o Brasil e do mundo. Por isso, oxigenar aquele espaço e fazer com que as pessoas que frequentam o local conheçam a nossa história e a nossa cultura é fundamental. Esta foi a razão que nos motivou a promover eventos artístico que valorizem aquele espaço e, consequentemente, a cidade e a nossa gente. E o resultado tem sido fantástico.

Neste momento em que a classe política não vive seus melhores tempos por conta da corrupção que assola o país, como você se sente integrando uma Administração Pública?

Por todo o meu esforço e trabalho, sinto-me imensamente honrado por ter recebido o convite diretamente do Prefeito Volnei Morastoni para integrar sua equipe de governo. Assinei a Carta de Compromisso de bem representar o nosso governo e trabalhar mais e melhor pela nossa querida cidade de Itajaí. Estamos no rumo certo, realizando um trabalho ético, transparente e humanizado para todas as pessoas, visando uma Itajaí do futuro mais justa, saudável e sustentável; afinal, Itajaí é uma cidade em movimento.

O que o motivou a ocupar a Tribuna da Câmara de Vereadores?

Foi uma experiência ímpar poder ocupar a Tribuna da Câmara de Vereadores de Itajaí, considerada a Casa do Povo, onde podemos ter vez e voz para representar a nossa classe pesqueira e os anseios de toda a comunidade. Poder valorizar o pescador e levar a nossa mensagem de solidariedade e de apoio a esses profissionais foi a nossa motivação.

“Aprendi uma coisa muito importante com meus pais: tratar as pessoas com respeito e dignidade. Em tudo o que faço sou extremamente perfeccionista, fazendo tudo com responsabilidade e profissionalismo, com o coração e sempre pensando no bem-estar das pessoas.”

Nilson José

Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *