Santa Catarina

“Tratamento de Esgoto de SC” Governador autoriza obra de mais de R$ 144 milhões

O governador Carlos Moisés da Silva autorizou, na manhã desta sexta-feira, 23, o início da ampliação da maior Estação de Tratamento de Esgoto de Santa Catarina, a ETE Insular, na capital do estado. No valor de mais de R$ 144,8 milhões, a obra representa o maior investimento de recursos em um empreendimento de saneamento nos 49 anos de Companhia. Com esse projeto, apenas na Capital a cobertura de saneamento será ampliada em 72%.

“Em todo o estado está sendo investido quase R$ 1 bilhão na execução de obras e projetos da Casan. Temos absoluta convicção na qualificação técnica desta gestão para que todos os prazos sejam cumpridos e as obras tragam os benefícios para as famílias. Desta forma, vamos avançando e atingindo patamares nunca antes alcançados pelo estado em saneamento básico”, ressaltou Carlos Moisés.

Com financiamento da Agência Japonesa de Cooperação (Jica), os recursos vão beneficiar 12 bairros e cerca de 225 mil moradores de Florianópolis. Localizada na entrada da Ilha de Santa Catarina e em operação desde 1999, a ETE Insular será totalmente modernizada e terá sua capacidade de tratamento duplicada, passando de 296 litros/segundo para 612 l/s.

Os bairros Itacorubi, Parque São Jorge, Jardim Anchieta, Córrego Grande e Pantanal, que têm 52 quilômetros de rede assentada, poderão fazer a conexão à nova unidade, tendo enfim coleta e tratamento. O projeto também prevê a implantação de mais 12 quilômetros de rede para atender os bairros José Mendes e Morro da Lagoa.

Cinco outros bairros − Centro, Trindade, Agronômica, Saco dos Limões e Costeira − serão beneficiados com a ampliação da unidade para acompanhar o crescimento vegetativo dessas áreas e, especialmente, com a modernização dos processos de tratamento.

“Com essa obra a gente aumenta a capacidade e melhora a forma de tratamento. Isso é muito importante para a população que espera há muito tempo por este benefício. Esta obra será modelo para o estado e para o Brasil”, destaca a presidente da Casan, Roberta Maas.

Eficiência na parceria

Representante da empreiteira que vai tocar a obra, Lorenzo Varassin destacou no ato realizado na Casa d’Agronômica que as parcerias com a companhia estão em um patamar de eficiência bem diferente dos últimos anos. “A empresa está fazendo o que realmente tem que fazer: saneamento para os catarinenses”, frisou Varassin, da Itajui Engenharia de Obras. Segundo ele, as obras começarão imediatamente, “com a garantia de que terão começo, meio e fim”, acrescentou.

Com a conclusão de mais esta obra de esgotamento sanitário, Florianópolis deverá ter 74% de cobertura de coleta e tratamento de esgoto. A ETE Insular passará a operar em Sistema Terciário, considerado o modelo de tratamento mais completo, pois além de remover a matéria orgânica do esgoto também retém nitrogênio e fósforo.

Resumo da obra

  • Período de Execução: 42 meses
  • População beneficiada: 225.000 habitantes
  • Ligações domiciliares – 3.753 unidades
  • Rede coletora – 12.209 metros
  • Emissários terrestres – 9.512 metros
  • Capacidade de Tratamento – ampliará vazão de 296 L/s para 612 L/s.
Share:

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos necessários estarão marcados com *