Pesca: Governo do Estado reforça medidas de proteção para pesca de arrasto de praia

Com a aproximação da safra da tainha, prevista para iniciar em 1º de maio na modalidade arrasto de praia, a Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural reafirma aos pescadores a importância de seguir as medidas de prevenção ao coronavírus. Entre as exigências da Portaria SES nº 85/2021 está o uso de máscaras por todos os envolvidos na pesca, além da restrição na quantidade de pessoas que podem permanecer na praia e nos barcos.

“É importante que os pescadores conheçam as regras e colaborem para diminuirmos os riscos de contaminação pelo coronavírus. A Secretaria da Saúde publicou uma portaria em janeiro deste ano na qual estão previstas diversas medidas a serem seguidas, entre elas o uso obrigatório de máscara, higienização constante com álcool em gel e limite no número de pessoas presentes na praia durante a pesca. A pesca da tainha faz parte da tradição catarinense e é uma importante fonte de renda para os pescadores. Esperamos uma temporada bastante tranquila e com bastante peixe”, destaca o gerente de Aquicultura e Pesca, Sérgio Winckler.

A pesca da tainha na modalidade de arrasto de praia está condicionada ao cumprimento das seguintes regras:

A fiscalização dos estabelecimentos fica a cargo das equipes de Vigilância Sanitária e de Segurança Pública e Salvamento.

Arrasto de praia

O arrasto de praia é uma modalidade de pesca realizada por comunidades tradicionais, que utilizam embarcações motorizadas ou a remo para levar ao mar uma rede, deixando uma ponta na praia fechando um cerco no mar. A rede é puxada na praia por pescadores e auxiliares de pesca nas suas duas pontas ou extremidades.

Sair da versão mobile