Vacinação em SC: Estado antecipa imunização de professores contra a Covid-19

Vacinação em SC: Estado antecipa imunização de professores contra a Covid-19

O Governo de Santa Catarina irá antecipar para quarta-feira, 26, a vacinação contra a Covid-19 para os professores da Educação Especial, pessoas em situação de rua e população privada de liberdade. Além disso, irá intensificar a aplicação de doses nos profissionais da Segurança Pública. O anúncio foi feito pelo governador Carlos Moisés, nesta segunda-feira, 24, após pactuação em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB).  O encontro envolveu técnicos da Secretaria de Estado da Saúde e dos municípios catarinenses.

“Promover a vacinação dos profissionais de educação é mais um passo muito importante na imunização dos catarinenses contra a Covid-19. Mas também precisamos avançar na cobertura dos grupos com comorbidades e outras populações. Vamos seguir trabalhando para acelerar o ritmo e ampliar a aplicação de doses em Santa Catarina”, afirma o governador Carlos Moisés.

O secretário adjunto de Estado da Saúde, Alexandre Lencina Fagundes, explicou que a deliberação anterior previa o início da campanha para o dia 31. Entretanto, diante das dificuldades apontadas para a cobertura vacinal dos portadores de comorbidades foi necessário antecipar a vacinação de outros grupos prioritários, de acordo com as determinações do Plano Estadual de Vacinação.

Santa Catarina distribuiu 549.764 doses para todos os municípios para aplicação no grupo das pessoas portadoras de comorbidades e deficiência permanente. Destas, apenas 174.840 doses foram aplicadas até a última sexta-feira, 21, o que equivale a pouco mais de 32,5% da população estimada. Diante da situação, o Governo emitiu um apelo no último sábado para que os municípios priorizassem a vacinação em pessoas com comorbidades.

“O fato é que de acordo com o que vinha sendo relatado pelo Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Santa Catarina ainda não houve a cobertura total do grupo prioritário, seja pela subestimativa dessa população, seja pela dificuldades de compreender quem teria esse direito”, relata Alexandre. “Entendemos que poderíamos, concomitantemente com a vacinação das pessoas com comorbidades, avançar nas fases seguintes do Plano Nacional de Imunização”.

O secretário adjunto explicou que para a vacinação dos profissionais de Educação serão seguidos os estudos e os indicadores apresentados pela Secretaria da Educação. “Ou seja, começaremos pelos profissionais de educação especial, em seguida atenderemos os da educação infantil e assim por diante”, afirmou. A ideia é que até quarta os municípios intensifiquem a busca ativa e vacinação das comorbidades. Também ampliaremos a vacinação em profissionais das forças de segurança”.

O secretário de Estado da Educação, Fernando Vampiro, acredita que a vacinação dos professores irá contribuir para compensar os impactos do ano letivo de 2020. “Nós protagonizamos o início das aulas presenciais no Brasil há três meses, no dia 18 de fevereiro. Isso é um reconhecimento à dedicação desses profissionais que, nesse momento pandêmico, estão na linha de frente acolhendo, educando e cuidando dos alunos. Que nós tenhamos bastante celeridade nesse processo para que, no segundo semestre de 2021, nós possamos resgatar e diminuir os prejuízos educacionais que nós tivemos ao longo do ano de 2020”, destaca o secretário.

Ainda na CIB realizada nesta segunda-feira foram debatidas questões referentes à febre amarela e dengue. A Secretaria da Saúde reforçou que os municípios, principalmente das regiões Nordeste e Planalto Norte, realizem campanhas educativas junto à população.

CATEGORIA
Compartilhar com

Comentário

Disqus ( )