“O Incansável”: José Roberto Deschamps presidente da Adjori/SC nos conta sua trajetória e conquistas

“O Incansável”: José Roberto Deschamps presidente da Adjori/SC nos conta sua trajetória e conquistas

Conversamos com o gasparense José Roberto Deschamps, diretor do Jornal Metas e presidente reeleito da ADJORI SC. Beto, como é conhecido na sua cidade, iniciou na área Comercial do jornal concorrente do Metas, em 1992. Em 2002 assumiu a direção do Jornal Metas que na época era de periodicidade semanal, “preto e branco”, com tiragem abaixo de 1.000 exemplares e apenas 70 assinantes. A partir de 2006, com uma tiragem já bem maior, todo colorido, passou a ser bissemanal, com circulação nas quartas-feiras e sábados. O Jornal Metas tem hoje uma tiragem de 4.500 exemplares em cada edição e uma carteira de mais de 3 mil assinantes. Instalado no centro empresarial da cidade, investiu em profissionais qualificados, em tecnologia e num jornalismo onde jamais abriu mão da credibilidade conquistada junto aos milhares de leitores. O Jornal Metas se destacou muito pelo reconhecimento em diversas premiações avalizadas pelos mais renomados profissionais da comunicação do Estado, no prêmio Adjori/SC de Jornalismo. Acompanhe nossa conversa:

ADJORI SC. Qual sua dimensão, propósitos, relação com a comunidade e com a publicidade?

A Adjori/SC é uma entidade com 40 anos, a serem completados em outubro deste ano. Nessas 4 décadas, muita coisa mudou no mercado editorial e publicitário.
Essa realidade fez a Adjori/SC ser referência aos associados para as mudanças. É na associação que as empresas jornalísticas buscam manter-se dentro do mercado, atendendo necessidades locais e regionais, tanto de leitores quanto de anunciantes.
Como nosso Estado tem uma diversidade muito complexa em cada uma das regiões, cada jornal é o porta-voz da sociedade, apresentando suas demandas e formando opinião.
O jornal impresso ainda se mostra o representante das comunidades. É principalmente nele que as pessoas buscam ter certeza da veracidade das notícias. O cidadão lê em outro veículo, mas procura no impresso a confirmação da veracidade da informação. No interior o localismo ainda é arraigado e forte.

Qual o cenário da publicidade nas cidades do interior?

Em relação ao mercado publicitário, regionalmente ele é instintivamente local/regional. Sem grande atuação de agências de propaganda em cidades de menor população – onde elas praticamente inexistem, essa relação é ainda distante, e por isso muito direta entre jornal e anunciante. Isso cria um ambiente de maior proximidade e acaba sendo a área de vendas do jornal o caminho para o anunciante e para o jornal.
Para profissionalizar e auferir maior profissionalismo à área, a Adjori/SC premia anualmente, por meio da categoria anúncio de agência, no Prêmio Adjori/SC de Jornalismo – que conta com mais de 20 edições, em que as empresas jornalísticas associadas utilizam agências na criação. Mas, notadamente percebe-se que os jornais que se inscrevem na categoria e tem essa relação com as agências são os de maior porte.

Qual o tamanho da Adjori catarinense- quantidade de veículos, tiragens, page views e nível de engajamento? 

Temos 127 empresas jornalísticas associadas regularmente (impressos e sites noticiosos). Destes, 114 veículos mantêm o jornal impresso de diversas periodicidades (diários, bissemanais, semanais, quinzenais, mensais…), com tiragem média semanal (destes bissemanais, semanais, quinzenais, mensais) de 220 mil exemplares. Mais 4 grandes jornais diários, com tiragens somadas de 22.400 exemplares/dia, e média semanal de 134 mil exemplares. Desta forma, totalizamos por semana (todas as periodicidades), aproximadamente 354 mil exemplares. Considerando a média de 6 leitores por exemplar, atingimos mais de 2 milhões de leitores por semana, somente no impresso.

E qual o alcance com os meios digitais?

No on-line a Adjori/SC mantém um trabalho forte, em rede, com portal de notícias rcnonline.com.br, integrado a mais de 30 sites de jornais associados, entre outros que estão fora da plataforma da Adjori/SC. Só os portais dos principais diários do Estado, associados à Adjori, somam mais de 10,5 milhões de pageviews, que somados o nosso alcance, é de mais de  12,5 milhões de pessoas alcançadas/mês.
A Adjori/SC promove também para os associados, a aproximação dos veículos com outras plataformas e seus públicos, disponibilizando sistemas, e por meio de atualização e capacitação oferecidas em oficinas e também na parceria da Universidade Corporativa Adjori/SC com universidades, que oferecem cursos em diversas modalidades aos funcionários e gestores das empresas jornalísticas associadas, com descontos especiais.

No que Adjori se diferencia e se assemelha à ADI?

As duas entidades representam o mesmo segmento, empresas jornalísticas com as mesmas necessidades locais e regionais, tanto de leitores quanto de anunciantes. Mesmo diante da diversidade somos os representantes da maioria dos veículos que compõem a Mídia Regional de Santa Catarina, independentemente da plataforma, impressa ou on-line. 
Nos diferenciamos no processo de gestão. A ADI, é a associação de jornais diários, enquanto a Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina (Adjori/SC) tem em seu quadro associativo, jornais de todas as periodicidades, inclusive os principais diários do nosso Estado. Com mais de uma centena de impressos formamos a maior rede de comunicação e a maior capilaridade com circulação nos 295 municípios catarinenses.   

A Adjori/SC criou o Cadastro Catarinense de Jornais (CCJ). Do que se trata?

O CCJ é um convênio entre a Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio da Biblioteca Pública do Estado de Santa Catarina (BPESC), e a Adjori/SC, com o objetivo de estabelecer cooperação mútua entre as partes, visando o encaminhamento – por intermédio da Adjori/SC – de jornais impressos editados por empresas jornalísticas de Santa Catarina para a biblioteca estadual, depois de inseridos no sistema Cadastro Catarinense de Jornais (CCJ), a serem destinados ao cumprimento do depósito legal, previsto no Artigo 70 da lei 5.250, de 09/02/1967 e lei estadual 11.074 de 11/01/1999. 
Este Cadastro Catarinense de Jornais (CCJ), que é um sistema desenvolvido e coordenado pela Adjori/SC, tem por objetivo a prestação de serviço que beneficia os catarinenses com um rico acervo histórico, disponível gratuitamente na biblioteca estadual, que se dá pelo cadastramento de exemplares físicos de editoras jornalísticas do Estado de Santa Catarina, em que os exemplares físicos das edições impressas são numerados e ficam à disposição da sociedade catarinense, de estudantes, pesquisadores, historiadores e demais interessados, na Biblioteca Pública de Santa Catarina, bem como certifica e comprova a regularidade na impressão dos exemplares declarados pelo jornal, separando empresas sérias e comprometidas com a informação daquelas oportunistas de ocasião que buscam apenas o recebimento de mídias. Além disso, o CCJ fornece à empresa jornalística cadastrada em seu sistema, um certificado de regularidade do jornal, comprovando que aquele CNPJ circula com a regularidade informada e declarada à Secretaria Executiva de Comunicação (SECOM), do Estado de Santa Catarina. Com esse âmbito, o CCJ passou a fazer parte, como exigência, em editais públicos do governo do Estado e da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, permitindo assim que quem tem um trabalho ético e responsável possa se diferenciar daquelas empresas que não têm responsabilidade com a periodicidade e circulação de seus exemplares impressos. É um serviço oferecido a qualquer empresa jornalística legalmente constituída em SC e com jornal impresso, não dependendo de fazer parte do quadro de associados, bastando preencher um cadastro com dados e enviar regularmente as edições físicas impressas para serem cadastradas no sistema.

O Prêmio Adjori, um dos mais tradicionais no segmento da Comunicação, completa 22 edições neste ano, premiando jornalismo e publicidade. Como será a edição 2021?   

Essa ainda é uma incerteza, visto que dependemos de protocolos sanitários que nos possibilitem um encontro presencial ou não.
Nossa vontade é a de reunir todos num grande congraçamento e uma programação que inclui capacitação, palestras e a solenidade de entrega do prêmio, aos 40 jornais associados inscritos para este ano.
Estamos na torcida para realizarmos um evento híbrido, presencial e com transmissão por live. Não havendo a possibilidade do presencial, realizaremos somente por live, como na edição passada, que não deixou de ter relevância, com a participação de parceiros comerciais, editoriais, jurados do prêmio, amigos e associados nos comentários. O evento foi disponibilizado no portal de notícias da Adjori/SC durante o a entrega e está disponível no canal da Adjori/SC no Youtube:  https://www.youtube.com/watch?v=HG7neF1TdiE.
Temos uma comissão de eventos, composta por membros da diretoria, que cuida do assunto e faz reuniões semanais para poder buscar a alternativa viável para essa edição, que queremos realizar em outubro, mês do aniversário da Adjori/SC. 

Você foi reeleito para conduzir a entidade até 2024. Qual é a sua plataforma para a gestão desse mandato? 

Mais do que uma plataforma eu diria que está sendo meu maior desafio. O associativismo é feito de muitas variantes, com muitos interesses e necessidades, e saber filtrar, organizar e trabalhar para o todo é sempre a nossa meta. 
Felizmente, trabalho com uma diretoria que colabora de forma fundamental, na medida em que são nossos ‘olhos’ em cada regional. Disso, buscamos fazer um apanhado para ações estratégicas que nos mantenham sempre próximos da Missão e Visão da Adjori/SC, de organizar, fortalecer, unir e capacitar técnica e profissionalmente os associados; coordenar e liderar projetos e metas em defesa de todos e da instituição, em benefício da imprensa catarinense, fundamentados na criação de uma força estadual independente, com parceria da iniciativa privada e do setor público, fomentadora do desenvolvimento das comunidades catarinenses. 

Sua diretoria tem definido um Planejamento Estratégico até 2025. Poderia detalhar esse plano?

O plano estratégico é um desses desafios de estar à frente da entidade, e ter a oportunidade de ser reeleito para dar continuidade a esse projeto é um fator importante na decisão do segundo mandato dessa diretoria.
Com quatro décadas de existência e com um mercado delineado para o setor, a Adjori/SC quer estar adequada e competitiva para esse futuro que desejamos. Para isso,  ou nos organizamos estrategicamente, sabendo e determinando onde queremos chegar ou somos engolidos pelas mudanças – que foram ainda mais antecipadas com o ‘novo normal’, com novos hábitos, pensares e necessidades de um consumidor que cada vez mais procura o que quer, mas nem sempre sabe onde buscar o que precisa, tamanho o leque de opções que a internet lhe oferece. As empresas que não estiverem atentas e oferecendo conteúdo editorial de qualidade e credibilidade, diferenciação, inovação e alvo, vão se perder num cybermundo cada vez mais amplo e ‘cheio de vontades’. Por isso, inclusive, falamos em 2024, que parece próximo, mas em relação às mudanças é muito grande, precisando sempre de revisão.
Estamos no diagnóstico estratégico, identificando necessidades e atribuições para saber quais as ferramentas serão necessárias para o acompanhamento desse crescimento cheio de mudanças. O próximo passo é o planejamento em si, no qual nossa diretoria vem se apoiando em eixos temáticos para as discussões. 
O plano apresenta processos e requisitos para prover o alinhamento, a transparência e a fluidez das tomadas de decisão institucional, além do estabelecimento de papéis e legitimidades, cuja disciplina estimulará hábitos e cultura proativa; ou seja, uma boa governança gerando condições de governabilidade, de institucionalização, visão holística e sistêmica. 
Alicerçado em quatro eixos estratégicos definidos (liberdade de opinião e compromisso com a verdade; vocação regional e inovação social; atuação em rede e com excelência; e transformação digital), o plano de governança, vai permitir conectar colaboradores, associados e parceiros ao negócio, bem como o negócio a um ecossistema de cocriação, de atuação integrada, onde todos atuam juntos num processo de melhoria contínua. 
Assim, a finalidade desta etapa do planejamento, por meio do plano de governança corporativa, é estimular a conexão de atitudes, atos normativos, pessoas, tecnologia, estruturas e rotinas a processos bem definidos, instrumentalizando a gestão operacional para mais efetividade (velocidade, com foco e resultados), gradativamente, sistematizada e internalizada por meio das capacitações. Há desafios, mas sobretudo há motivação e direção para superá-los. 

Quais cenários você vislumbra para os jornais em Santa Catarina?

Olha, como associação nosso papel é dar apoio e ferramentas para os jornais conhecerem os cenários e o destino que vão escolher. Mas a decisão de adequar-se é exclusivamente de cada proprietário. É natural que impressos com periodicidades maiores percam mais espaço. A notícia hoje está disponível em segundos e naturalmente a função jornalística editorial de informar o factual diminui muito e retira do veículo sua função de porta-voz de demandas de uma comunidade, por exemplo, porque a velocidade da informação é necessária para o consumidor de hoje e para atender suas necessidades.
Estamos empenhados na busca de trazer formas e receitas que contribuam para a manutenção do trabalho dos jornais impressos, imprescindíveis e que ainda terão vida longa,  mas também estimulando a criação do ambiente digital para que cada um possa ser sempre a melhor opção para disseminação de informação de valor e vitrine para anunciantes, seja no impresso, seja na versão on-line.

Edição: AcontecendoAqui

CATEGORIA
Compartilhar com

Comentário

Disqus ( )