“De Frente com Claudinha”: Desigualdade social

“De Frente com Claudinha”: Desigualdade social


O Problema da desigualdade social, não é a falta de dinheiro para muitos, e sim, o excesso nas mãos de poucos. O problema do Brasil não é a desigualdade social, mas a qualidade das nossas ações ou omissões diante dela; o fato de alguém superar as desigualdades sociais imposta pela sociedade brasileira, não implica que todos poderão conseguir, nem invalida a omissa do Estado brasileiro no combate à pobreza. Apenas estou cansada desse maldito sistema, em quê, os ricos reinam enquanto os pobres apodrecem calados.

E a ideia principal é apologia a desigualdade social!

O grande mal do mundo é a exclusão social, pessoas que se acham melhores que as outras. Que acreditam que tem o direito de excluir alguém da vida social, esse é o grande mal do mundo. Aqueles que aceitam a injustiça, não tem o direito de escolher, sempre ficaram com as sobras que lhe oferecem; mas aqueles que LUTAM por justiça, por seus direitos, sempre multiplicarão. Aprendi no decorrer da minha vida que ninguém é melhor que ninguém, cada um colhe aquilo que soube plantar.

Meus pêsames às pessoas que trapaceiam seus semelhantes, imaginando que estão tirando ou levando vantagens. Sinto muito lhes informar, mas as leis do universo são implacáveis e não há perdão para trapaceiros. Não espere que semeando ervas daninhas irás colher trigo.

Todos nós recebemos o que merecemos, colhemos o que plantamos. Iludidos são aqueles que para crescer na vida, prejudicam, enganam, fingem e trapaceiam. Estamos numa vida temporária, tudo que fizermos será julgado no mundo espiritual, lá só existe a verdade, nada pode ser escondido. Então, parem de achar que é melhor que os outros, todos nós somos dignos de uma vida Íntegra e não há nada que nos separe de ninguém, por mais que essas pessoas pensem serem melhores. Elas não são!

Muito pelo contrário, pessoas que excluem as pessoas por sua condição financeira, física, não são dignas de serem chamadas de seres humanos, são pessoas desprezíveis, miseráveis. Que podem até ter tudo na vida, dinheiro, poder, mas que não tem o mais importante, não tem paz na alma; não tem DEUS, não tem caráter.

Tem gente que é tão pobre, que só tem dinheiro. É sobre isso que estou falando, é preciso saber olhar, enxergar com a alma e aprender com o coração. O mundo jamais será como pensávamos quando éramos crianças, um lugar feliz, onde as pessoas se ajudam se amam, tudo perfeito. Na verdade, o mundo é um lugar terrível, onde as pessoas machucam uns aos outros, onde as pessoas excluem outras pela sua condição financeira, física, pela cor da pele, tudo é julgamento. Para alguns, vale mais quem tem – vale mais quem tem uma boa aparência, uma boa conta bancária, infelizmente é assim.

Isso é desigualdade social – tire um tempo do seu dia para refletir sobre você, sobre sua vida, sobre suas atitudes. Imagine tudo o que você pode fazer para melhorar, imagine-se estendendo a mão ao próximo, tratando as pessoas de igual para igual. Seja um ser humano melhor, a nossa vida aqui é tão curta, um sopro. Quando você menos esperar você não estará mais aqui para tentar fazer tudo aquilo que poderia ter feito, você poderia ser uma pessoa incrível, pense nisso (…) gaste seu tempo buscando uma maneira de ajudar alguém que esteja precisando; preencha seu coração fazendo o bem a quem realmente necessita.

A desigualdade social poderá ser eliminada no futuro, quando a ciência descobrir um meio de dar a cada ser humano o mesmo grau de inteligência. A menina que os poucos foi trocando as bonecas por maquiagem, trocando seu mundo de sonhos pelo da realidade; e entendendo que todas as pessoas merecem o respeito e a admiração de serem quem são.

Independente de ser – rico/pobre, preto/branco, qualquer tipo de deficiência; todos somos iguais e ninguém tem o direito de querer nos separar de uma sociedade que são tão nossa, quanto daqueles que se acham melhores. Vocês são sim, os melhores, e vou dizer em quê: melhores em discriminação, melhores em julgamentos, melhores em preconceitos, melhores também em arrogância e ganância, é nisso que vocês são melhores.

Agora lhes pergunto, vocês têm mesmo orgulho das pessoas que são? Vocês têm mesmo orgulho da sua história?

Deixa que eu mesmo respondo: não, vocês não têm! O que existe são pessoas mesquinhas que se acham melhores que os outros, que se acham donos do mundo, e mal sabem elas, que os donos do mundo são aquelas pessoas de corações gigantes; que estendem as mãos ao seu próximo. Desigualdade social é como um abismo que separa os que ostentam e os que nada tem… uma sociedade extremamente doente com valores distorcidos, falência da igualdade humana. Isso é violência, isso também é vandalismo! E por fim, a desigualdade social é um monstro que se alimenta da inocência do povo.

Texto: Claudinha Sousa
Instagram: claudinhasousadino
E-mail: claudinhasousadino1978@gmail.com

CATEGORIA
Compartilhar com

Comentário

Disqus ( )